O surgimento da flacidez, rugas e de manchas na pele são efeitos do envelhecimento natural. No entanto, muitas vezes esse processo é acelerado por conta do uso do cigarro. Para fazer um alerta aos malefícios do tabagismo, o DermaClub conversou com a dermatologista Carolina Marçon, de São Paulo, que enumerou os 5 danos mais agravantes que o fumo pode causar à pele, além de explicar como recuperar a região desses problemas. Veja só!

1) Manchas na pele

O cigarro contém mais de 4 mil substâncias tóxicas, mas aquela que mais prejudica a pele é a nicotina. Esse ingrediente, além de fazer mal a todo o organismo, causa também a formação de manchas na pele, principalmente para os fumantes que tem a pele clara. “Essas pessoas acabam tendo uma somatória de prejuízos do cigarro com as agressões do sol, pois são mais suscetíveis aos danos da radiação devido à carência de melanina, o que acaba acelerando ainda mais o envelhecimento precoce”, esclareceu.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

2) Rugas e flacidez

Além disso, a Dra Carolina conta que a nicotina também causa a vasoconstrição - processo que gera a diminuição do fluxo sanguíneo na pele, prejudicando toda a sua parte nutricional. “Essa isquemia forma uma lesão nas fibras elásticas e diminui a síntese do colágeno, fazendo com que as rugas apareçam”, explicou

3) Ressecamento da pele

Quem fuma também percebe que a pele perde muito o viço, ficando com um aspecto bem ressecado e áspero. “Esse processo se torna mais significativo nas mulheres, devido à hidroxilação do estradiol - um hormônio feminino que tem ação importante na manutenção do colágeno e na hidratação - causada pelo uso constante do cigarro”, alertou.

4) Vasos aparentes

A pele dos pacientes tabagistas possui rugas mais profundas, palidez, coloração mais acinzentada e, além disso, ela se afina mais rapidamente. Isso acaba ressaltando os vasos sanguíneos no rosto, acometendo, principalmente, as pessoas de pele clara.

5) Cabelos brancos

Além do cabelo ficar mais áspero, oleoso e opaco, o excesso de radicais livres gerado pelo uso do cigarro também acaba refletindo no surgimento de fios brancos. Isso acontece, porque o estresse oxidativo, causado pela nicotina, acaba afetando a produção de melanina no cabelo.

Como recuperar a pele dos danos causados pelo cigarro?

A Dra. Carolina garante que o melhor tratamento para converter todos esses danos é parar de fumar. “Em contrapartida, também é importante tratar a pele com uso de antioxidantes, produtos à base de retinol e substâncias que estimulam as fibras de colágeno e elastina, como o ácido hialurônico, ácido glicólico e nicotinamida”. Com esse conjunto de cuidados, é possível recuperar saúde da pele.

Dermatologista:

Drª. Carolina Reato Marçon // CRM: 113.379

Dra. Carolina Marçon é fez sua especialização em Clínica Médica pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Possui título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Associação Médica Brasileira (AMB). Especialização em Dermatoscopia e Oncologia Cutânea no Hospital AC Camargo. Membro Titular da American Academy of Dermatology (AAD). Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Coordenadora do Programa Pró-Albino - Santa Casa de Misericórdia de São Paulo/SBD.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.