Seja morena, oriental, clara, negra ou miscigenada, a principal maneira de manter a cor da pele uniforme é protegendo-se dos raios solares e do calor excessivo. Apesar de alguns pacientes apresentarem tendências às manchas, qualquer um pode desenvolver o quadro de pigmentação, que, de acordo com a dermatologista Juliana Jordão, de Curitiba, Paraná, ainda não possui cura. Ela ainda explicou ao DermaClub quais as maneiras de prevenir as marcas, como tratá-las e ainda os cuidados com a pele durante os procedimentos.

Descubra quais são os tipos de pele mais suscetíveis às manchas e como é possível evitá-las

Segundo a médica, as peles morenas, miscigenadas, orientais ou claras com tom de olhos verdes - em geral, apesar de parecerem claras, bronzeiam facilmente e, por isso, são consideradas como morenas - costumam ter facilidade para manchar. Além disso, pacientes com sardas também possuem maior tendência às marcas. “A principal maneira de manter todos esses tipos de pele protegidos é através do uso rigoroso de filtro solar! O hábito deve ser adquirido ainda na infância”, contou.

Além disso, outros costumes saudáveis podem, e devem, fazer parte da sua rotina:

- Evite a exposição excessiva ao sol e ao calor;

- Resfrie a pele sempre que necessário: a água termal é ótima alternativa;

- Utilize proteções físicas como chapéu e guarda-sol;

- Comprimidos antioxidantes à base de polypodium leucotomos ou picnogenol regularmente, que ajudam a prevenir os efeitos danosos de radicais livres.

Saiba quais são as melhores maneiras de minimizar o efeito visual das manchas

De acordo com a dermatologista, a grande maioria das manchas pode ser clareada, porém não curada. “Isso quer dizer que, se houver exposição solar, provavelmente, grande parte delas irá voltar. Por esse motivo, os cuidados com a prevenção da exposição solar são fundamentais na manutenção dos resultados de qualquer procedimento”, pontuou. Em geral, os cuidados se iniciam com tratamento domiciliar com aplicação de cremes à base de ácido retinoico ou glicólico, hidroquinona, resveratrol, entre outros. “Além disso, as vitaminas C e E tópicas são muito úteis como antioxidante e potencializam o efeito do filtro solar”, concluiu.

Dermatologista conta quais os melhores procedimentos para minimizar a aparência das manchas

Para a Dra. Juliana Jordão, em cada caso será necessário um tratamento diferente. “Para sardas e também manchas senis - causadas pelo acúmulo de exposição solar -, a melhor opção é a luz intensa pulsada. Para as mais resistentes, o laser erbium ou de CO2 são muito utilizados. Para os casos de melasma, temos muitas alternativas, que variam desde peelings clareadores até a indução percutânea de colágeno com agulhas (IPCA)”, disse, afirmando que todos os procedimentos são bem tolerados e devem ser realizados por um dermatologista.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.