Você sabe o que é acne? Para muitos, é um problema que ficou na puberdade; para outros, as espinhas e cravos no rosto continuam se manifestando ao longo da vida. Seja na adolescência ou durante a fase adulta, esta doença de pele pode ser originada por muitos problemas - desde o excesso de oleosidade na face até alterações hormonais. Além dos sintomas, para saber as causas da acne, é importante ficar atento ao local em que essas lesões surgem. O DermaClub pediu ajuda da dermatologista Flávia Ravelli, de São Paulo, para esclarecer o que significam as espinhas em cada região do rosto. Confira!

Entenda o que é acne e como se formam as espinhas no rosto

De acordo com a médica, a acne é uma doença inflamatória e crônica que muitas pessoas têm na pele. “Trata-se de um problema causado por uma série de fatores, como o aumento de oleosidade e a produção maior de queratina. A união desses fatores reflete em um processo inflamatório, favorecendo a proliferação de bactérias que infeccionam o local, formando a espinha”, explicou.

Esse desenvolvimento se torna algo recorrente, pois existem diversas causas que favorecem o aumento da oleosidade e da queratinização da pele. “Dentre elas, podemos citar: desregularização hormonal, fatores genéticos, tabagismo, falta de sono e alguns estudos ainda apontam o consumo de alimentos com alto índice glicêmico, que contribuem para o surgimento da acne”, apresentou a dermatologista.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Espinha na testa: o que significa?

A zona “T” do rosto - formada pela testa, nariz e queixo - é uma região que possui maior concentração de glândulas sebáceas - por isso, acaba sofrendo mais com o surgimento de espinhas. Na testa, é muito comum a pessoa ter a chamada de ‘acne cosmética’: “Causada por produtos usados no cabelo e que entram em contato com a pele. Portanto, cremes, condicionadores e shampoos podem refletir neste problema”, afirmou.

A Dra. Flávia cita outras causas de espinhas nessa área, como: “O uso de bonés e chapéus, que podem deixar a testa muito abafada, causando o aumento da produção de sebo; e franja, em que a própria oleosidade do cabelo pode ser transmitida para pele, causando a obstrução dos poros e, consequentemente, o surgimento de acne”.

Espinhas no queixo: quais são as causas?

Quando falamos de espinhas no queixo, principalmente na região mandibular, lembramos logo da acne da mulher adulta. “É um problema que pode ser recorrente - iniciada na adolescência e prolongada depois dos 25 anos - ou ser uma acne que apareceu tempos depois. Esse tipo normalmente está relacionada com alterações hormonais”, garantiu a dermatologista.

E no nariz, por que as espinhas aparecem nessa região?

Como o nariz é uma área seborreica, localizada também na Zona “T”, possui o aumento da oleosidade e dilatação dos poros. Segundo a médica, isso acaba gerando - mais uma vez - predisposição para o surgimento de cravos e espinhas.

Espinhas nas bochechas: o que pode desencadear esse problema?

Nas bochechas, a acne pode surgir devido ao uso de produtos não adaptados para o rosto, como é o caso de hidratantes mais cremosos, capazes de deixar a pele oleosa com maior predisposição às lesões. Além disso, a Dra. Flávia ressalta uma atenção que devemos ter na hora de dormir: “Ficar deitado apenas de um lado no travesseiro causa um abafamento na bochecha, que pode gerar riscos para o desenvolvimento de espinhas”.

O tratamento da acne pode variar de acordo com a região em que aparecem as lesões

A Dra. Flávia afirma que o tratamento da acne vai depender muito de onde a lesão está localizada. Por isso, é importante ir ao dermatologista para investigar a verdadeira causa da espinha e receber a terapia apropriada. “Limpeza com sabonetes específicos que tenham uma ação seborreguladora e diminua a queratinização, além do uso tópico de produtos que amenizam a proliferação de bactérias e desobstruem os poros, ajudando a controlar a inflamação”, são os tratamentos mais indicados pela dermatologista.

Para casos mais graves, os profissionais podem indicar o uso de antibióticos. Já a acne hormonal, deve ser tratada com anticoncepcionais ou outros remédios que diminuam os níveis de hormônios masculinos no sangue.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.