Você já notou as primeiras rugas ou aquele aspecto de pele sempre cansada e sem viço? Eles são bem comuns a partir dos 25 anos, quando a produção das fibras de colágeno começa a decair. Para esses casos, existem procedimentos dermatológicos que ajudam a atenuar esses danos, como a microdermoabrasão. Já ouviu falar nesse tratamento? O DermaClub conversou com a dermatologista Gabriella Albuquerque, do Rio de Janeiro, que explicou tudo sobre essa técnica.

O que é microdermoabrasão?

A microdermoabrasão é um procedimento que realiza a esfoliação física e muito superficial da pele, que pode ser feito por aparelhos específicos ou manualmente, através de dermocosméticos. Segundo a médica, “ele promove a remoção das células mortas e, consequentemente, a renovação celular e o estímulo da produção de colágeno”, esclareceu.

Os principais tipos são:

Peeling de cristal, com a pulverização de cristais de óxido de alumínio na pele, removendo sua camada mais superficial. Em seguida, é realizada aspiração à vácuo que retira todos os resíduos, como células mortas, da superfície da pele e estimula a produção de colágeno.

Peeling de diamante, é feita a esfoliação profunda da pele, sendo eficiente para remoção de manchas e combate às rugas.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Como o procedimento é feito, em casa ou no consultório?

A Drª Gabriella explica que o tratamento pode ser feito das duas maneiras: “Em consultório médico, através de aparelhos dermatológicos, ou em casa pelo próprio paciente, com ferramentas recomendadas pelo próprio dermatologista”, avisou. Entretanto, a profissional atenta que, quando o procedimento é feito em casa, acaba sendo menos eficaz do que na clínica.

Quem pode fazer a microdermoabrasão?

A pele vai sofrer uma esfoliação superficial e poderá ficar avermelhada alguns dias após o procedimento. Porém, mesmo deixando a pele um pouco sensível, a médica explica que qualquer pessoa pode passar pelo tratamento: “Até mesmo as gestantes, com recomendação médica, estão liberadas para realizar o procedimento, já que não é utilizado nenhum tipo de química”, revelou.

Como devemos cuidar da pele após o procedimento?

Para evitar qualquer outro tipo de reação mais agressiva a profissional recomenda: “Hidratar bastante a pele e evitar a radiação solar nos primeiros cinco dias após o procedimento. Além disso, também é importante interromper o uso de ácidos nesse período, caso esses façam parte da sua rotina de pele”, finalizou.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.