Se você cozinha todos os dias e passa muito tempo em contato com o calor e os gases emitidos pelo fogão, saiba que o ar quente pode causar danos à sua pele, incluindo envelhecimento precoce! E, para entender qual a melhor forma de proteger o rosto desses efeitos, o DermaClub conversou com a dermatologista Christiane Gonzaga, que explicou quais são os cuidados necessários. Confira!

Saiba por que o ar quente do fogo e o gás podem fazer mal à pele

A Dra. Christiane afirma que o ar quente é responsável por transmitir radiação infravermelha, que é propagada por tudo que produz calor, como o fogão. “O dano é ocasionado porque a radiação penetra nas camadas profundas da pele, prejudicando a produção de colágeno e provocando o envelhecimento precoce. E, caso essa exposição seja constante, também pode causar manchas”, explicou.

Descubra por que usar antioxidantes antes de expor a pele ao calor do fogão

De acordo com a médica, os antioxidantes devem ser usados, diariamente, pela manhã e antes de dormir, como prevenção e tratamento. “Eles reduzem os efeitos da radiação infravermelha, combatem os radicais livres e estimulam a produção de colágeno da pele”, afirmou. Além dos produtos que possuem essas substâncias, também é possível incluí-las em seus cuidados por via oral e com uma alimentação equilibrada, rica em verduras e frutas. Além disso, é essencial, em conjunto, o filtro solar, para intensificar a proteção.

Existe algum tipo de pele que sofre mais com o calor do fogão?

Segundo a dermatologista, as peles morenas e negras costumam ser mais resistentes ao calor. Enquanto, as mais brancas e secas, geralmente, são mais suscetíveis aos danos causados pelo calor do fogo.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.