Muitos nutricionistas e endocrinologistas alertam para o perigo do açúcar para o organismo. A ingestão em excesso de carboidratos está associada à uma série de complicações, incluindo diabetes e problemas cardiovasculares. No entanto, pesquisas cientificas apontaram que o alimento também pode ser prejudicial à pele. O DermaClub conversou com a dermatologista Juliana Neiva, da Clínica Dermais, no Rio de Janeiro, que explicou quais são os efeitos da glicação na cútis e como protegê-la. Confira!

O que é a glicação? Descubra como manter a pele mais jovem e saudável

A glicação é um processo que une uma molécula de glicose com uma de proteína, como colágeno e elastina - as mesmas responsáveis por manter a pele mais jovem e firme. “Essa união instabiliza a proteína e a faz quebrar. É uma ação tão danosa quanto a dos radicais livres, promovendo a formação de rugas e acarretando em perda de elasticidade e de tonicidade”, comentou. Segundo a médica, a glicação tem sido alvo de muitos estudos científicos, já que esses agentes podem ser encontrados nos alimentos, principalmente em dietas muito açucaradas.

Saiba como combater os efeitos do açúcar na pele

Para deixar a pele mais jovem por mais tempo é ideal que se tenha um ritual de cuidados regrados, com produtos que atuem contra os efeitos nocivos do açúcar. “Os antioxidantes, além de neutralizarem os radicais livres - responsáveis por 90% do envelhecimento precoce - também são antiglicantes e inibem a ação prejudicial ao colágeno”, disse. Segundo Dra. Juliana, o uso de dermocosméticos adequados combinados à uma alimentação com índice glicêmico regular promovem uma pele mais saudável e bonita.

Quando e como usar dermocosméticos antiglicantes

De acordo com a dermatologista, a idade ideal para começar a cuidar da pele é em torno dos 25 anos. “Sendo assim, o uso dos antiglicantes já pode começar a incorporar a rotina de beleza da paciente, como método de prevenção”, explicou. Os antioxidantes, podem ser usados pela manhã, antes do protetor solar, a fim de proteger o rosto contra da radiação ultravioleta, infravermelha e da poluição.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.