A psoríase é uma doença crônica que causa manchas vermelhas e descamativas na pele e que costumam gerar muita coceira e incômodo. De acordo com o Hospital Israelita Albert Einstein, mais de 2 milhões novos casos são constatados a cada ano só no Brasil. Por trás da doença de pele, existem muitos pontos que precisam ser esclarecidos: psoríase tem cura? Existe tratamento? Como podemos evitar a formação das lesões? O DermaClub conversou com seu time de dermatologistas para responder todas as dúvidas sobre o tema.

1. O que é psoríase?

1.1. Como a psoríase surge na pele?

A psoríase é uma doença crônica inflamatória não infecciosa. Embora sua causa não seja completamente esclarecida, é possível que esteja relacionada ao sistema imunológico e à predisposição genética - ou seja se alguém da sua família tem, as chances de você desenvolver são grandes. A Dra. Vanessa Metz, do Rio de Janeiro, esclarece como as lesões surgem na pele: “O sistema inflamatório acelera a renovação celular. Se normalmente a pele se renova a cada 10 dias, em pacientes com este quadro isso fica tão acelerado que a renovação e a descamação não passam despercebidas”, detalhou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

2. Quais são os tipos da doença?

2.1. Psoríase vulgar

É muito comum e provoca lesões de tamanhos variados, com descamação. Os machucados podem provocar dor e, em casos mais graves, rachaduras e até sangramentos.

2.2. Psoríase invertida

Atinge regiões do corpo onde há mais umidade, como axilas e virilha.

2.3. Psoríase gutata

Mais comum em crianças e adultos jovens, esse tipo é caracterizado por pequenas feridas em forma de gota e se desenvolve, geralmente, após uma infecção bacteriana.

2.4. Psoríase eritrodérmica

Lesões características da doença espalhadas por todo o corpo.

2.5. Psoríase ungueal

Atinge as unhas, com alteração de seu formato, descolamento ou surgimento de pequenas depressões.

2.6. Psoríase artropática

Além das feridas características, provoca dores nas articulações do corpo.

2.7. Psoríase pustulosa

É rara e os machucados apresentam pus.

2.8. Psoríase palmo-plantar

Os machucados aparecem como fissuras nas palmas das mãos e solas dos pés.

2.9. Psoríase do couro cabeludo

Apesar de comum, é facilmente confundida com a dermatite seborreica. Esse tipo de descamação, em geral, é intensa e bastante incômoda por ser, muitas vezes, visível.

3. Conheça os sintomas da psoríase

Os sintomas da doença de pele acabam variando de paciente para paciente, de acordo com o tipo da doença. Podemos citar:

- Manchas vermelhas com escamas secas e esbranquiçadas;
- Manchas brancas ou escuras após as lesões;
- Pele ressecada e rachada, podendo haver sangramento;
- Coceira, queimação e dor;
- Unhas grossas, enrugadas ou até descoladas;
- Presença de inchaço e rigidez nas articulações.

4. Quais são as causas da psoríase?

Conforme a Dra. Vanessa afirmou, a causa da doença de pele ainda não é muito bem esclarecida, mas segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) acredita-se que possam ser os seguintes motivos:

Herança genética: até 40% dos pacientes com psoríase possuem algum histórico familiar da doença;

Estresse: o problema pode debilitar o sistema imunológico e causar a psoríase;

Mudança climática: nos dias frios a pele fica mais ressecada, o que acaba facilitando o surgimento das lesões;

Maus hábitos: o consumo de bebidas alcoólicas e o tabagismo não só aumentam as chances de desenvolver a doença, como também a elevam a sua gravidade quando ela se manifesta.

5. Psoríase tem cura?

5.1. Conheça as formas de tratamento

A Dra. Juliana Jordão, de Curitiba, afirma que por se tratar de uma doença crônica, a psoríase não tem cura, mas pode ser controlada com um tratamento específico para evitar as lesões. Sendo assim, a dermatologista indica alguns cuidados:

Em casos leves:

Uso de pomadas com corticosteróide associadas, ou não, ao ácido salicílico, são ideais para as aplicações tópicas.

Para os mais resistentes e graves:

São indicados tratamentos de fototerapia e medicações injetáveis, respectivamente.

Lesões no couro cabeludo:

O uso de shampoos específicos é indicado.

Nas unhas:

Podem ser aplicadas esmaltes à base de clobetasol temporariamente.

6. É possível prevenir a psoríase?


Por ser uma doença crônica, não é possível prevenir a psoríase, mas com alguns cuidados diários o paciente consegue diminuir a progressão ou colaborar para a melhora da doença:

- Use hidratantes diariamente e cremes à base de ureia que reduzem a espessura das feridas e potencializam a hidratação;

- Evite o estresse e aposte em hábitos mais relaxantes;

- Aproveite 15 minutos de exposição solar diária nos horários apropriados. Esse hábito é suficiente para usufruir dos benefícios da vitamina D;

- Controle doenças associadas à síndromes metabólicas;

- Evitar fatores que estimulam a doença é importante para controlar as feridas.

7. Mitos e verdades sobre a psoríase

7.1. A psoríase pode agravar no inverno.

Verdade! Segundo a Dra. Tatiane Curi, de São Paulo, isso acontece porque as lesões da psoríase tendem a melhorar bastante com a exposição solar moderada em horários apropriados, agindo como um anti-inflamatório para as feridas. No inverno, como os dias ensolarados diminuem, as feridas acabam tendo uma piora.

7.2. Psoríase é uma doença de pele contagiosa

Mito! Muita gente acredita que a psoríase é uma doença contagiosa, mas a Dra. Vanessa Metz nega essa afirmação. “Existe muito preconceito por conta das placas espalhadas pelo corpo e a descamação, por isso algumas pessoas acreditam que é contagiosa, mas não é”, alertou.

7.3. Banhos quentes não são recomendados para quem tem a doença

Verdade! A temperatura da água pode agravar a situação das lesões, o que motiva sinais como coceira, irritação e a descamação das manchas vermelhas no corpo. Prefira tomar banhos frios ou mornos e rápidos durante o inverno.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.