Parabenos são conservantes que protegem produtos contra o crescimento de fungos e bactérias. Amplamente usados na indústria cosmética em produtos para o cabelo, maquiagens e até lenços umedecidos, essas substâncias são constantemente relacionadas ao desenvolvimento de algumas doenças. O DermaClub conversou com a dermatologista Flávia Ravelli, da cidade de São Paulo, para esclarecer as dúvidas sobre o assunto. Confira!

A substância ainda está sendo estudada

De acordo com a médica, a substância desencadeia alergias, irritações e sensibilizações cutâneas. “O acúmulo de parabeno no organismo, segundo estudos, pode gerar doenças como câncer de mama, melanoma e afetar a fertilidade. Entretanto, essas pesquisas foram feitas com doses muito altas, que não são encontradas nos produtos do nosso cotidiano. Por isso, ainda faltam resultados mais conclusivos sobre a sua relação com desenvolvimento de cânceres”, esclareceu.

Saiba como identificar o parabeno em um produto

Pode-se detectar a sua presença em algum produto olhando a embalagem. Na parte dos ingredientes ou composição, basta procurar a palavra parabeno ou paraben. Também é comum conter um prefixo, como butilparabeno e metilparabeno. Caso não tenha, o produto é parabeno-free!

O parabeno não é o único ‘vilão’

Segundo a dermatologista, os produtos sem parabenos têm um custo maior e, por esse motivo, ainda não são maioria no mercado, já que ele é um conservante muito acessível. “É bom lembrar que o parabeno não é o único produto que pode causar malefícios e toxicidade para a saúde, há outros como formol, ftalatos e benzofenona, que também merecem atenção especial na hora da compra”, concluiu.

Ficou com dúvidas? Procure o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e agende uma consulta!

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.