O colágeno é uma substância produzida naturalmente pelo corpo, que é essencial para manter a firmeza e a elasticidade da pele. Porém, a partir dos 25 anos a sua produção começa a diminuir, e para manter a sua pele bonita, saudável e evitar os sintomas do envelhecimento precoce (como rugas e flacidez), é necessário repor essa proteína o mais rápido possível. Mas de que maneira podemos fazer a restituição do colágeno? O DermaClub conversou com a dermatologista Juliana Jordão, de Curitiba, que explicou e ressaltou os benefícios dessa substância para a sua pele. Olha só!

O que é o colágeno? Entenda a sua função no corpo e na pele

O colágeno é uma proteína fundamental para a estrutura, firmeza e elasticidade da pele. Sendo assim, é um aliado que representa 70% de toda proteína da região e 30% do nosso corpo. Resumindo: essa substância é importante para manter as células firmes, tanto para a pele, cabelos e unhas, quanto para músculos, ligamentos, tendões e articulações.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Nós perdemos colágeno? Com que idade isso acontece?

Sim. Esse processo começa bem cedo, a partir dos 25 anos, e vai aumentando com o passar do tempo. A Drª Juliana conta que, após os 30, reduzimos cerca de 2% ao ano a produção de colágeno. “Isso varia de acordo com questões genéticas e hábitos de vida. Pacientes fumantes ou que se expõem com frequência ao sol perdem essa substância de forma mais acelerada”, esclareceu. Além desses fatores, o consumo exagerado de açúcar e o estresse também podem agilizar a degradação.

Por que nós perdemos colágeno? Entenda quais são as causas

Com o passar dos anos, a especialista explica que, além da ação de substâncias danosas como radicais livres, nós temos uma redução na capacidade de produção de colágeno e um aumento na enzima chamada metaloproteinase (MMP). “Esta enzima é a responsável pela degradação de fibras colágenas e seus níveis tendem a aumentar ao longo da vida - ou seja, além de degradar mais colágeno, diminuímos a capacidade de produção”, alertou.

Como podemos repor colágeno? Produtos, procedimentos e alimentação

De acordo com a dermatologista, existem várias maneiras de repor o colágeno no organismo e na pele. Existem substâncias que auxiliam no aumento da produção de colágeno, como a vitamina C, por exemplo, e o colágeno hidrolisado que pode ser ingerido regularmente. Entretanto, a Drª Juliana ressalta que nenhum destes elementos é tão eficaz quanto uma boa alimentação capaz de estimular essa proteína. “No cardápio, é importante ter frutas e verduras ricas em vitamina C e proteínas, especialmente as animais”, disse.

Além da dieta, podemos contar com diversos procedimentos que aumentam a produção local de colágeno, como:

- Laser fracionado
- Laser de CO2
- Radiofrequência microagulhada
- Radiofrequência focal
- Ultrassom microfocado

Produtos injetáveis como a hidroxiapatita de cálcio e ácido polilático são considerados bioestimuladores de colágeno e atuam aumentando a espessura da pele, reduzindo as linhas finas e flacidez.

O ácido hialurônico também é capaz de induzir a produção de colágeno localizada. Sob a forma de skinbooster, ele auxilia na melhora da qualidade da pele e hidratação. Sob a forma de preenchedor ele corrige sulcos, áreas de perda de volume e contorno facial através de sua ação na expansão do volume e também da produção de colágeno.

Mas lembre-se que mesmo com procedimentos bem executados, a produção de colágeno também varia de acordo com aspectos genéticos, alimentares e hábitos de vida.

7 sinais de que seu corpo precisa de reposição de colágeno

- Diminuição na espessura dos fios de cabelo;
- Aumento da flacidez;
- Perda de elasticidade da pele;
- Surgimento de rugas e linhas de expressão;
- Aparecimento de estrias;
- Pele fina e desidratada;
- Enfraquecimento das unhas.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.