Quem nunca quis ficar com a pele bem bronzeada que atire a primeira pedra! No entanto, muitas vezes os planos acabam saindo furados e, ao invés de pegar aquela corzinha dourada, a pele fica queimada. Em ambos os casos, a pele sofre danos, mas você sabe qual é a diferença real entre essas duas situações? Será que é possível bronzear-se de forma saudável? O DermaClub tem as melhores dicas e cuidados para você. Fique de olho!

Entenda a diferença entre pele bronzeada e pele queimada

Embora ficar com um bronzeado bonito seja o desejo de muitos, é fundamental entender que todo o bronzeamento é uma exposição prolongada à radiação UVA, que também é responsável pelo fotoenvelhecimento. Mesmo sabendo disso, muita gente gosta de ficar com aquela corzinha dourada - a qualquer custo! Se você faz parte desse grupo, saiba que existe, sim, uma forma mais adequada de conseguir esse tom, embora o ideal, de um ponto de vista médico, seja não se bronzear.

A pele bronzeada é diferente da pele queimada. A pele bronzeada surge devido ao aumento da melanina - pigmento cutâneo - que acontece quando a nossa pele entra em contato com a radiação solar como uma forma de proteção. Cada pessoa produz quantidades diferentes dessa pigmentação no corpo - quem tem a pele mais clara possui pouca melanina na pele, por isso, tende a se queimar com mais facilidade. Já a pele morena e negra apresenta maior quantidade, sendo capaz de produzir um bronzeado com maior facilidade.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Por outro lado, o primeiro sinal de uma pele queimada é a sua aparência vermelha/ rosada. Além disso, ela pode ficar dolorida - o que compõe um quadro de eritema -, quente, sensível ao toque,também pode haver coceira. Em casos mais graves seu corpo pode desenvolver pequenas bolhas com líquido, que podem estourar; além de dor de cabeça, febre, calafrios e fadiga... Não podemos esquecer que depois de 4 a 7 dias da queimadura a pele pode apresentar descamação.

Entenda os riscos de uma queimadura solar

Uma queimadura solar considerada grave - aquela que causa a formação de bolhas no corpo - é capaz de dobrar os riscos do surgimento do melanoma - o tipo mais grave e raro de câncer de pele. De acordo com a dermatologista Lilia Guadanhim, cerca de 90% dos casos de melanoma estão relacionados à radiação UV. Além disso, as queimaduras também podem aumentar os danos do fotoenvelhecimento, que se manifesta através de rugas e manchas ao longo dos anos.

Protetor solar é indispensável para conquistar um bronzeado saudável

Para garantir um bronzeado mais saudável, você precisa aplicar e reaplicar o protetor solar ao longo da exposição - sem desculpas! Sem ele, a sua pele sofrerá com os danos dos raios ultravioleta, independentemente do horário ou da quantidade de exposição. Por isso, fique atenta: um filtro de FPS alto, de 30 ou superior, aplicado a cada duas horas ou toda a vez que você se molhar, é fundamental para conseguir uma corzinha com saúde.

Além disso, também é necessário ter paciência, porque não vai ser em um dia que vai ficar com a cor que você deseja. O bronzeado só vai começar a aparecer 48 a 72 horas após a primeira exposição solar. Este é o tempo necessário para que a melanina seja produzida e liberada pelas células - ou seja, não adianta exagerar no banho de sol ou encher o corpo de óleo bronzeador. Outra coisa importante é aproveitar apenas os horários em que a radiação não é tão incisiva - como entre as 8 e as 10 horas e após as 16 horas - para se expor.

*Ficou com dúvidas? Procure o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e agende uma consulta!