Quem possui pele negra ganhou uma ajudinha da genética, já que esse tipo de cútis apresenta um alto nível de melanina e colágeno, deixando-a mais resistente ao sol e ao envelhecimento. No entanto, essa pele merece atenção especial para que não sofra com problemas como manchas no rosto, excesso de oleosidade e foliculite. O DermaClub conversou com a dermatologista Katleen Conceição, especialista no assunto, do Rio de Janeiro, que considera indispensável o uso de filtro solar e sabonetes específicos. Confira as dicas e conquiste uma pele viçosa e uniforme!

Saiba qual é o diferencial da pele negra

Segundo Dra. Katleen, a pele negra possui um nível alto de melanina, o que promove uma proteção natural ao sol. Além disso, possui mais colágeno que as outras cútis, deixando-a mais elástica e resistente aos efeitos do tempo, como rugas e linhas de expressão. E, por ser mais espessa e firme, demora mais a ficar flácida e, dificilmente, apresenta celulite. “No entanto, o diferencial da pele negra pode ser, também, o seu maior mal. Devido a hiperpigmentação, há mais propensão à manchas de pele, como melasma. Já o alto nível de colágeno, por exemplo, pode resultar em queloides”, explicou.

A pele negra é, necessariamente, oleosa?

De acordo com a médica, a pele negra pode apresentar todos os tipos: normal, mista, seca e oleosa. No entanto, a oleosa é a mais comum, já que a secreção das glândulas sudoríparas é maior nesse tipo de pele, tornando-a assim por natureza. Sendo assim, favorece o surgimento de acne e foliculite.

Proteção solar é essencial para a pele negra

Apesar de ser mais resistente ao sol, apresentando um fator de proteção natural de 13.4, a médica recomenda o uso do filtro solardiariamente, inclusive em dias nublados ou em ambientes fechados. "Normalmente, indico sabonete específico para a pele do paciente e o filtro solar com FPS 15, no mínimo, com reaplicação a cada três horas", recomendou. Outros produtos, como anti-idade, serum antioxidante e tônicos faciais, também podem ser indicados pelo dermatologista.

Manchas: um problema comum em peles negras. Descubra o motivo

A abundância de melanina pode acelerar o surgimento de manchas, pois durante a cicatrização a pigmentação é ativada. "Qualquer processo inflamatório ou que cause irritação pode gerar o escurecimento da pele", comentou a Dra. Katleen Conceição, usando como exemplo as marcas causadas pela acne.

Como evitar as manchas na pele negra?

Para evitar as manchas, o paciente deve buscar tratamento preventivo. “Primeiro, é preciso evitar que a pessoa tenha a alteração cutânea e, consequentemente, uma inflamação que pode causar o escurecimento”, comentou. Para os pacientes que já possuem espinhas, as substâncias clareadoras e antiacne são aliadas ao tratamento.

Além do protetor solar, a médica recomenda produtos compostos por vitamina C, kojico, ácido fítico e alfa-hidroxiácidos para a prevenção de manchinhas. Já para o tratamento na clínica dermatológica, uma das escolhas da médica é o laser fracionado.

Confira dicas para evitar a foliculite após a depilação

Outra dica da dermatologista é hidratar a pele após a depilação com cera ou lâmina de barbear, já que, assim, ela fica mais protegido contra agressões ambientais e a foliculite. A escolha de um sabonete esfoliante também contribui para o desaparecimento dos pelos encravados. Caso o problema persista, a depilação a laser pode resolver, definitivamente, o problema.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.