A menopausa é uma fase bastante delicada para toda mulher. As mudanças são bem características: embora a tendência seja ficar com a pele mais ressecada e sem viço, será que existem casos em que a menopausa possa deixar a pele oleosa? A fim de esclarecer essa questão, o DermaClub conversou com a dermatologista Luciana Kalache, de Curitiba. Veja só!

Quais são as características da pele da mulher durante esse período?

De acordo com a médica, durante a menopausa acontece uma redução hormonal brusca na mulher: “Ocorre uma queda do estrogênio muito acentuada, que leva a alteração visível e significativa da pele como uma flacidez mais acentuada, devido à perda de fibras elásticas e colágeno, acentuação de rugas e o ressecamento”, esclareceu.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

A pele pode ficar oleosa durante a menopausa?

Embora o ressecamento da pele seja o sintoma mais comum, existe a possibilidade sim das mulheres apresentarem uma pele mais oleosa durante a menopausa. “Isso por que com a queda do estrogênio, acontece uma acentuação de outro hormônio que não cai na mesma velocidade: a testosterona, que pode levar ao aumento de pelo, da oleosidade e inclusive da acne”, explicou a dermatologista.

Como cuidar da pele oleosa nessa fase da vida?

É essencial que, nesse período, a mulher utilize produtos adequados para o seu tipo de pele. Segundo a Dra. Luciana, em geral, a pele madura requer limpeza e uma hidratação maior para diminuir a flacidez. “Mas para garantir o tratamento correto, de acordo com as características da sua pele, é importante consultar um dermatologista para realizar uma análise das necessidades e indicar os produtos adequados - tanto de limpeza, quanto hidratação e antioxidantes”, ressaltou.

Quais produtos e ativos devemos apostar durante essa fase da vida?

A dermatologista sugere alguns ativos: “Eu gosto muito de indicar a vitamina C, resveratrol e retinol para pacientes que estão na fase da menopausa”. Tudo isso a fim de melhorar desde as linhas até a firmeza e para tentar contornar os problemas de flacidez e perda de hidratação, que é o mais observado nessas mulheres.

O LHA, derivado do ácido salicílico, é outro ativo que pode ser usado na pele madura e oleosa, já que tem uma composição mais suave e atuam fazendo uma esfoliação na pele, bem como o AHA (complexo de ácido glicólico e cítrico) e ainda o ácido anísico, que também tem poder renovador. Estas substâncias conseguem melhorar a textura da pele, diminuir a oleosidade, eliminar espinhas ao mesmo tempo que previnem e minimizam a profundidade das rugas.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.