Dermaclub
O máximo de vantagens para você e sua pele

Pele oleosa: o que é mito e o que é verdade? Dermatologista explica!

A pele oleosa é rodeada por muitos mitos, que passam de geração em geração. No entanto, procurar um médico para entender as particularidades do seu tipo de pele é a melhor forma de entender e melhorar os seus cuidados com ela. Pensando nisso, o DermaClub conversou com a dermatologista Tatiane Curi, de São Paulo, para desvendar os mitos mais comuns sobre a oleosidade da pele. Olha só!

1) A pele oleosa não precisa de hidratação

Mito! De acordo com a médica, a pele oleosa precisa, sim, de hidratação. “Inclusive quem tem tendência à acne também necessita de nutrição, a fim de manter a textura saudável e viço. Muitas vezes, o ressecamento excessivo desencadeia o efeito rebote, tornando a pele mais oleosa, caso não seja hidratada”, contou.

2) A pele oleosa possui maior tendência à acne

Verdade! A Dra. Tatiane diz que, normalmente, a pele oleosa possui hiperprodução de sebo pelas glândulas sebáceas. Por isso, quem tem esse tipo de pele deve evitar cortes de cabelo com franja, por exemplo. Os fios em contato com o rosto podem "abafar" a região, aumentando a predisposição à acne.

3) Quem tem pele oleosa também tem cabelo oleoso

Verdade! Segundo a dermatologista, existem glândulas produtoras de sebo na face, costas, tórax e no couro cabeludo. Se a causa da pele oleosa for o excesso de hormônios, medicamentos ou predisposição genética, a oleosidade não ficará restrita apenas ao rosto, mas também estará presente em outras partes do corpo.

4) Comer muito chocolate pode causar acne

Verdade, mas em parte! Alguns alimentos estimulam a produção de insulina pelo corpo, que, associada à ação de outros hormônios, pode causar um aumento da produção de sebo e, consequentemente, o surgimento de acne e cravos. “Grande parte dos chocolates levam leite em sua composição, por isso, é considerado um alimento gorduroso e com alto teor de glicose, que ocasiona um aumento da insulina”, disse.

5) Quem tem pele oleosa precisa lavar o rosto mais vezes para diminuir a oleosidade

Mito! Para a Dra. Tatiane, o ideal é higienizar a pele apenas duas vezes ao dia. “O que muda de paciente para paciente é o tipo de produto. Pessoas de pele oleosa devem usar geis de limpeza com ativos adstringentes ou seborreguladores, ou seja, que removem o excesso de gordura”, afirmou.

6) Protetor solar aumenta a oleosidade da pele

Mito! Atualmente, existem muitos filtros, que além de protegerem a pele, também tratam a oleosidade. Basta consultar um dermatologista e descobrir qual o melhor produto indicado para o seu tipo de pele. A médica afirma que as peles oleosas se dão melhor com veículos em géis, loções livres de óleo e séruns leves.

7) Peles oleosas apresentam menos rugas

Verdade, mas em partes também! De acordo com a dermatologista, a pele oleosa possui camada lipídica protetora mais espessa do que os outros tipos. Assim, ela ajuda a evitar a perda de água através da barreira cutânea e, dessa forma, as rugas demoram mais a aparecer. No entanto, o envelhecimento não está relacionado somente à perda de água, mas também aos fatores externos, como tabagismo, exposição solar excessiva, poluição, alimentação, entre outros.

8) Quem tem rosto oleoso, tem corpo com as mesmas características

Mito! Segundo a médica, pele do rosto oleosa não significa que o corpo também seja. A face e o couro cabeludo acumulam maior número de glândulas que secretam sebo do que outras regiões. Desse modo, uma pessoa pode ter o rosto mais oleoso, enquanto braços, pernas e abdômen são mais ressecados e necessitam de hidratação.

9) A alimentação influencia na oleosidade da pele

Verdade! Alguns alimentos aumentam a produção de insulina pelo corpo, influenciando na oleosidade da pele. Por isso, muitas vezes, adolescentes que não seguem uma nutrição adequada e apresentam ações hormonais típicas da idade costumam ter mais espinhas.

10) Apenas os jovens têm a pele oleosa

Mito! Para a Dra. Tatiane, não existe idade para ter pele oleosa. “Com o passar dos anos, a pele torna-se mais sensível, fina e até seca, perdendo a oleosidade natural. De um modo geral, o estímulo de hormônios sexuais tendem a diminuir com a idade e, com isso, a tendência à pele oleosa também. Mas, ainda sim, é possível”, explicou.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Publicado em: Quinta-feira 30 de março de 2017 - 05h40

0
0
0
0

Pele

Psoríase no pé: conheça os sintomas e como controlar essa doença de pele

Psoríase no pé: conheça os sintomas e como controlar essa doença de pele

Proteção

Protetor solar com alta cobertura: como usar o produto para uniformizar a pele e disfarçar manchas

Protetor solar com alta cobertura: como usar o produto para uniformizar a pele e disfarçar manchas

Celulite

O que causa celulite? Açúcar, calça apertada, cigarro... Confira 5 hábitos que podem estar causando o problema

O que causa celulite? Açúcar, calça apertada, cigarro... Confira 5 hábitos que podem estar causando o problema

Vitaminas

Minha vitamina C escureceu, ainda funciona? Como saber se oxidou? Entenda

Minha vitamina C escureceu, ainda funciona? Como saber se oxidou? Entenda

Blefaroplastia: o que é? Quais cuidados após o procedimento? Dermatologista esclarece tudo sobre a cirurgia

Blefaroplastia: o que é? Quais cuidados após o procedimento? Dermatologista esclarece tudo sobre a cirurgia

Cabelo

Raiz oleosa e pontas secas: como diminuir a oleosidade no couro cabeludo sem ressecar os cabelos?

Raiz oleosa e pontas secas: como diminuir a oleosidade no couro cabeludo sem ressecar os cabelos?