A pele seca reúne uma série de características bem específicas, como coceira, aspecto esbranquiçado, descamação, entre outros. Embora seja muito comum, ainda existem várias dúvidas em torno desse tipo de pele. O que causa a pele seca? Como hidratar corretamente a pele? Pele seca é a mesma coisa que pele desidratada ou ressecada? Para esclarecer todas as suas dúvidas, o DermaClub reuniu um time de dermatologistas que contou tudo sobre o assunto. Confira!

1. Pele seca: o que é?

A pele seca, ou xerose, é um tipo de pele que possui um desequilíbrio ao nível das glândulas sebáceas, que não produzem uma quantidade ideal de oleosidade para lubrificar a região. Além disso, ela pode ser causada por uma série de fatores intrínsecos e extrínsecos, como a genética, o clima, alterações hormonais, entre vários outros. Geralmente, este tipo de pele é reativo e pode afetar várias partes do rosto e corpo.

1.1 Características da pele seca

- Aparência sem luminosidade ou viço;
- Aspecto esbranquiçado;
- Textura escamosa;
- Descamação;
- Manchas vermelhas;
- Em casos mais graves, rachaduras e feridas.

1.2 Sintomas da pele seca

Além das características físicas aparentes, quem tem pele seca experiencia os seguintes sintomas:

- Coceira;
- Sensação de repuxamento;
- Ardor;
- Sensibilidade.

1.3 Doenças que causam pele seca

De acordo com a dermatologista Drº Lilia Guadanhim, “pacientes com histórico pessoal ou familiar de alergias, como dermatite atópica, asma, bronquite e rinite, tem uma tendência a ter a pele mais seca”. Crises de psoríase ou a diabetes também podem causar esse problema.

2. Pele seca ou pele desidratada?

Uma dúvida muito comum é se pele seca e pele desidratada são a mesma coisa. Embora apresentem, muitas vezes, as mesmas características, de acordo com a Drª Lilia, o primeiro trata-se de um tipo de pele, enquanto o segundo é uma condição. Todos os tipos de pele podem apresentar sinais de desidratação, por conta do comprometimento da barreira de proteção da pele e do microbioma, devido a inúmeros fatores externos.

2.1. O que é a barreira de proteção da pele?

De acordo com a dermatologista Drª. Betina Stefanello, do Rio de Janeiro, a barreira de proteção da pele, também chamada de manto hidrolipídico, é uma espécie de película protetora da epiderme, que, por sua vez, é constituída por 5 camadas (basal, espinhosa, granular, lúcida e córnea). Com a falta de hidratação, esta camada fica comprometida, causando ressecamento e sensibilidade.

2.2. Microbioma: o que é e para que serve?

O microbioma é o conjunto de microorganismos, especialmente bactérias e fungos, que habita no nosso corpo, inclusive na pele, e que convivem em equilíbrio proporcionando uma série de benefícios. Na pele, o equilíbrio do microbioma pode até prevenir doenças dermatológicas, como a psoríase e dermatite atópica, cujos sintomas incluem a pele seca.

3. Pele ressecada

A pele ressecada pode acontecer temporariamente, quando a região em questão fica extremamente seca, podendo levar até à formação de feridas e rachaduras. Geralmente, isso se dá por conta de fatores externos e, muitas vezes, em regiões com menor concentração de glândulas sebáceas, como joelhos, cotovelos, calcanhares e pernas. Confira abaixo alguns deles.

3.1. O que causa o ressecamento da pele?

- Clima frio e vento;
- Exposição ao sol;
- Uso constante de água muito quente no banho;
- Ingestão diária de água insuficiente;
- Atrito constante com roupas, sapatos ou com o chão;
- Contato constante com água com cloro ou mar;
- Tratamentos estéticos;
- Medicamentos específicos, como para controlar a acne;
- Uso de sabonetes muito adstringentes e inadequados para o seu tipo de pele;
- Contato frequente com produtos químicos de limpeza;
- Etc.

4. Tratamentos para pele seca

Não há dúvidas de que a hidratação adequada e constante é o melhor tratamento para a pele seca. Segundo a dermatologista Flávia Addor, de São Paulo, para que a pele se mantenha hidratada, é essencial promover o equilíbrio do microbioma e o fortalecimento da barreira de proteção da pele, através do uso de hidratantes superpotentes e também da água termal.

4.1 Qual o melhor hidratante para pele seca?

Para hidratar a pele do rosto do tipo seca, o ideal é apostar num hidratante diário potente, como um creme facial prebiótico, especialmente os que são enriquecidos com ceramidas e vitamina B3.
Já para a pele do corpo seca, vale a pena apostar nas loções com uréia e manteiga de karité, entre outros.
Se a sua pele não é do tipo seca e apresenta desidratação, o ideal é optar por hidratantes leves, porém potentes, como os enriquecidos com ácido hialurônico.
No caso de ressecamento em regiões específicas do corpo, como calcanhares, joelhos ou cutículas, opte por bálsamos de rápida absorção com ativos como o pantenol e o madecassoside.

4.2 Confira os principais ativos hidratantes:

- Manteiga de Karité
- Ácido Hialurônico
- Ceramida
- Glicerina
- Água termal
- Pantenol
- Nicotinamida
- Vitamina E
- Vitamina B3

4.3. Cuidados com a pele seca

Além de hidratar a pele com frequência, especialmente logo após o banho, é importante evitar alguns hábitos errados. A Drª Betina listou alguns deles, como: “usar água muito quente no banho, esfregar a pele com a toalha, passar o sabonete em barra diretamente na pele, ou exagerar na esfoliação”. Beber bastante água ao longo do dia também é fundamental.

5. Rotina de cuidados com a pele seca

Veja o passo a passo para cuidar da pele seca no dia a dia.

5.1. Ritual para a pele do rosto seca

1. Limpe o rosto com uma solução micelar;
2. Lave o rosto com um creme de limpeza suave;
3. Enxugue a pele suavemente com uma toalha, sem esfregar;
4. Aplique um hidratante potente de rápida absorção;
5. Finalize com o protetor solar;
6. Ao longo do dia, borrife um pouco de água termal no rosto.

5.2. Ritual para a pele do corpo seca

1. Durante o banho, lave o corpo com um sabonete líquido hidratante;
2. Em seguida, enxugue a pele suavemente, deixando-a levemente úmida;
3. Aplique o hidratante de imediato, para melhorar a sua absorção;
4. Capriche a aplicação nas áreas mais ressecadas, como calcanhares, joelhos, etc.

6. Mitos e verdades sobre pele seca

6.1. Quem tem pele seca não pode usar ácidos no rosto.

Mito! Além de existirem ácidos com a função de hidratar a pele, como o ácido lático e o ácido hialurônico, que não têm poder descamativo, o uso adequado de ácidos pode, sim, ser adaptado à pele seca. No entanto, é fundamental fazê-lo com acompanhamento de um dermatologista e sempre reforçando a hidratação.

6.2. Pele seca envelhece mais rapidamente.

Mito! Segundo a dermatologista Juliana Neiva, do Rio de Janeiro, o ritmo do envelhecimento não varia de acordo com o tipo de pele. “O que pode camuflar um pouco do visual das linhas de expressão e rugas é a oleosidade. Quanto mais seca a pele, mais opaca ela é. Enquanto a pele oleosa fica lustrosa, que pode ser confundido com um aspecto hidratado. E, por isso, temos a sensação de que aquele rosto é menos envelhecido, já que hidratação está diretamente ligada à saúde da pele”, explicou.

6.3. A pele fica mais seca no inverno.

Verdade! Durante o tempo frio, a pele fica mais fragilizada, uma vez que a barreira da pele fica comprometida. Além da queda de umidade no ar, também consumimos menos água e tomamos banhos mais quentes - todos esses fatores contribuem para o ressecamento da pele.

6.4. Pele seca tem mais chance de ficar sensível.

Verdade! Quando a pele está seca, a barreira de proteção da pele fica fragilizada, o que leva à sensibilidade frequente: vermelhidão, ardor, coceira, entre outros sintomas.