Você tem a pele sensível? Essa condição, que pode acontecer em todos os tipos de pele, proporciona muito incômodo à região - desde manchas vermelhas no rosto e pescoço, coceira, repuxamento, descamação até à formação de pequenas feridas. Mas é possível tratar e controlar esses desconfortos com alguns cuidados diários, principalmente durante as épocas mais frias (inverno), fases específicas da vida (gravidez) e após procedimentos dermatológicos e estéticos, como a depilação, peeling e limpeza profunda. Para saber como lidar com a pele reativa, o DermaClub fez um apanhado com todos os detalhes sobre o assunto. Veja só!

1. O que é pele sensível?

A pele sensível, possui complexas condições e apresenta vários tipos de irritações. Ela também é imprevisível, podendo exibir manchas vermelhas, coceira, queimação, repuxamento e, em casos mais graves, pequenas feridas a qualquer hora do dia. Tudo isso por conta da resposta imune da pele.

1.1. Qual tipo de pele é considerada mais sensível?

Normalmente, a pele seca possui uma tendência maior à sensibilidade. Porém, essa condição pode acontecer com qualquer tipo de pele, inclusive a oleosa - que surge, na maioria das vezes, devido ao tratamento antiacne que torna o rosto mais fragilizada, ressecada e temperamental.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

1.2. Quais são os sinais e sintomas da pele sensível?

- Manchas vermelhas na pele;
- Coceira na região irritada;
- Queimação;
- Repuxamento;
- Irritação;
- Formação de feridas em casos mais graves.

2. O que causa a sensibilidade na pele?

2.1. Conheça os fatores que deixam a pele sensível

Você provavelmente está familiarizado com a barreira física da pele, que é a primeira e, ao ajudar a reter a água, mantém sua função fundamental como barreira protetora. Mas, quando essa barreira está enfraquecida, a sua capacidade de funcionar contra fatores externos é diminuída, o que pode induzir ou agravar a sensibilidade e o desconforto da pele.

Além disso, há uma segunda linha de defesa que não deve ser ignorada, o microbioma da pele. Ele fornece uma camada inicial de proteção, que também deve ser mantida. Essa barreira adicional consiste na comunidade de bactérias, fungos e outros microrganismos que formam um ecossistema natural na superfície da pele. Os agressores externos são capazes de desequilibrá-lo, agravando a sensibilidade da pele.

Vasculares: quando as paredes dos vasos sanguíneos estão fragilizadas devido a fatores externos - como a ingestão de temperos fortes e bebidas alcoólicas;

Ambientais: coceira ou queimação causadas pelo vento, ar seco, exposição solar, calor ou frio em excesso e poluição;

Procedimentos dermatológicos: a pele pode reagir à aplicação de ingredientes mal tolerados, além de sabonetes muito adstringentes ou tratamentos com ácidos;

Atopia: é uma tendência hereditária em que a pessoa desenvolve manifestações alérgicas;

Doenças da pele: as rosáceas e dermatites podem induzir a sensibilidade da pele.

2.3. Pele sensível no inverno

Durante o inverno, podemos perceber que a pele é uma das partes do corpo que mais sofre com a mudança de estação, ficando mais ressecada e com a estrutura bem fragilizada. Isso acontece devido à queda da umidade do ar somada à diminuição do consumo de água, bastante comum nessa época. Sendo assim, a pele sensível acaba sendo mais prejudicada ao longo dessa temporada.

2.4. Pele sensível durante a gravidez

A gestação causa muitas mudanças para o corpo e pele da mulher por conta das alterações hormonais. Esse processo acaba deixando a pele da gestante muito sensível neste período. Além disso, para as mulheres que já apresentam condições, como a dermatite, urticária e a psoríase podem ter esses problemas agravados.

3. Pele sensível e rosácea

Quem tem tendência à sensibilidade também corre o risco de ter rosácea - uma doença de pele crônica de origem desconhecida. Ela deixa o rosto mais sensível, com manchas vermelhas e outros sintomas mais agravantes, dependendo do quadro, como a formação de nódulos e irritação nos olhos. O problema é mais comum em pacientes mulheres com a pele clara.

4. Depilação na pele sensível

Quem tem a pele sensível pode fazer depilação, mas precisa seguir alguns cuidados antes, durante e após o procedimento para prevenir o surgimento de reações: higienizar a região a ser manipulada, escolher o melhor método de depilação mais adequada e finalizar com um produto calmante, como a água termal.

5. Pele sensível x banho quente

Para a pele sensível, o mais indicado na hora da higiene é evitar banhos quentes. Prefira sempre a água na temperatura morna ou gelada sem demorar muito no chuveiro. Desta forma, é possível prevenir a formação de manchas vermelhas e ressecamento na pele.

6. Como tratar a sensibilidade da pele?

- Suspenda o uso de qualquer produto que cause desconforto ou queimação;

- Seque suavemente a área afetada e evite atrito com roupas, toalhas e esfoliantes;

- Escolha produtos próprios para peles sensíveis, sem fragrâncias e, para o couro cabeludo, shampoos sem surfactantes irritantes;

- Evite banhos quentes e muito vapor no banheiro;

- Use filtro solar com FPS 30, no mínimo, e amplo espectro;

- Diminua o consumo de álcool, pimentas, café e alimentos condimentados;

- Use sabonetes neutros, sem parabenos, fragrâncias, álcool ou qualquer outro tipo de substância reativa;

- Hidratantes são obrigatórios porque nutrem, diminuem as irritações, além de restaurarem a barreira da pele. É importante reaplicar durante o dia, especialmente quando estiver exposto a um clima muito extremo, como calor ou frio - incluindo ar condicionado;

- Para o reequilíbrio do ecossistema natural da pele, o microbioma, é interessante que o produto proporcione também uma ação prebiótica, ou seja, que forneça alimentos para a proliferação de bactérias benéficas na pele, e assim, fortalecer a segunda proteção natural da pele também.

7. Produtos e ativos para a pele sensível


Para cuidar de uma pele sensível, é necessário apostar em alguns cuidados:

- Sabonetes neutros sem parabenos, fragrância, álcool ou qualquer substância reativa;

- Apostar em um creme ou loção com ativos hidratantes, como a manteiga de karité, glicerina, ceramidas e vitamina B5;

- Não esquecer de aplicar o filtro solar com amplo espectro;

- Usar água termal à vontade!

8. Mitos e verdades da pele sensível

8.1. Quem tem a pele sensível não pode pegar sol


Mito! É claro que pode pegar sol, mas com moderação e sempre usando protetor com FPS 30, no mínimo, e amplo espectro. A pele sensível acaba se tornando mais fragilizada com a alta exposição solar.

8.2. Quem tem a pele sensível precisa hidratar a pele constantemente


Verdade! Hidratação é a palavra-chave para manter a pele sensível macia, suave, sem manchas vermelhas, alergias e descamações. Neste caso, o ideal é apostar em um produto com ativos que ajudam a nutrir, acalmar e recompor a barreira hidrolipídica.

8.3. A pele sensível não pode fazer limpeza de pele profunda


Mito! Quem tem a pele sensível pode fazer a limpeza de pele profunda, mas com alguns cuidados. Por isso, é importante fazer esse procedimento sempre com um dermatologista.