Com o passar dos anos, a pele se transforma e começa a apresentar marcas, principalmente de expressão. E uma das ruguinhas que mais preocupam as mulheres são os pés de galinha - linhas ao redor dos olhos que aparecem, principalmente, quando sorrimos. O DermaClub conversou com a dermatologista Luciana Kalache, de Curitiba, que explicou o que são, por que acontecem e como é possível tratar. Acompanhe!

Descubra o que são os pés de galinha

Segundo a dermatologista, os pés de galinha são as rugas da região periocular, ou seja, localizadas ao redor dos olhos. “Elas se desenvolvem a partir da atividade muscular ligada aos movimentos da face, e estão associadas ao processo de envelhecimento e flacidez cutânea. Geralmente, partem do canto externo dos olhos no sentido da testa, da orelha e da bochecha, dando um aspecto que se assemelha ao pé da galinha, por isso recebe esse nome”, explicou.

Os pés de galinha podem aparecer em qualquer idade

Não existe uma idade fixa para o surgimento desse tipo de marcas no rosto. De acordo com a médica, são diversos os fatores que podem influenciar no surgimento precoce. Confira a lista da Dra. Luciana das principais causas para os pés de galinha:

- Exposição solar intensa;
- Peles e olhos claros;
- Pessoas muito expressivas;
- Fumantes;
- Falta de hidratação da pele.

Geralmente, entre 20 e 25 anos essas linhas aparecem apenas no movimento, sendo classificadas como rugas dinâmicas ou de expressão. Com a evolução do quadro elas vão se tornando fixas e evidentes, mesmo em repouso.

Dermatologista dá dicas de como minimizar os efeitos dos pés de galinha

É possível minimizar os efeitos dos pés de galinha, mas a dermatologista afirma que o ideal é o tratamento precoce. “Para prevenir é indicado o uso de filtro solar desde a infância, manter a pele sempre hidratada, usar óculos escuros quando a luminosidade for excessiva, além de evitar o tabagismo”, pontuou.

Quando as marcas já estão estabelecidas, são feitos tratamentos tópicos: “Receitamos cremes antioxidantes, a base de retinóides, vitamina C, ácido hialurônico, dentre outros. Eles devem ser aplicados, no máximo, duas vezes ao dia, com movimentos circulares. A toxina botulínica também é uma excelente opção, agindo no relaxamento do músculo”, explicou. Existem ainda as opções de tratamento oferecidos em consultório, como laser fracionado, peelings e preenchimento.

Procure seu dermatologista e saiba como prevenir e amenizar os pés de galinha!

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.