A pele é o maior órgão do corpo humano. Nela, podemos notar algumas características bem particulares, como as pintas - pequenos sinais, manchas ou pequenas elevações que podem apresentar diversas cores, desde castanho claro até avermelhado. Os sinais na tonalidade rubra, mais comuns em pessoas adultas, também podem surgir em gestantes e na pele madura. Mas, afinal de contas, qual é o significado dessas pintas? Precisamos nos preocupar com elas? Para esclarecer essas e outras dúvidas, o DermaClub conversou com a dermatologista Juliana Jordão, Curitiba. Confira!

Pintas vermelhas: o que são e em qual fase da vida costumam surgir?

Dermatologicamente conhecidas como nevos rubis, as pintas de coloração vermelha surgem pela proliferação e dilatação de pequenos vasos da pele. De acordo com a médica, “elas são mais comuns em pessoas de pele clara e gestantes, mas podem ocorrer em qualquer etnia ou época da vida - na fase adulta, sendo mais comumente durante a gestação ou em mulheres após os 40 anos”, afirmou.

Embora a coloração assuste um pouco, são consideradas lesões benignas que, em geral, permanecem com seu tamanho estável, mas podem mudar para tonalidade marrom ao longo do tempo. Mesmo assim, não deixe de ficar atenta a todos os sinais do seu corpo e consultar um dermatologista regularmente para a realização de exames de rotina.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

As causas das pintas vermelhas na pele podem estar no seu histórico familiar

Segundo a Dra. Juliana, “na maioria dos casos, há uma correlação genética com as pintas vermelhas, geralmente com história familiar positiva para presença de tais lesões. Porém, elas também podem surgir durante a gestação, período em que as alterações hormonais podem provocar o aumento da quantidade deste tipo de lesão”, afirmou.

É possível evitar o surgimento dessas pintas vermelhas?

Infelizmente, não é possível evitar o surgimento dessas pintas. Por outro lado, existem opções de terapia para as mesmas. “O tratamento só é indicado se há algum incômodo estético ou pelo atrito onde está localizado, já que se tratam de lesões benignas. Caso o paciente deseje tratar, recomendamos a eletrocauterização ou aplicação à laser, procedimento realizado pelo médico dermatologista”, esclareceu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.