Existem muitos fatores externos capazes de agredir a nossa pele. Além da radiação solar e das alterações climáticas, outro vilão invisível que consegue causar danos à nossa pele é a poluição. Além de ser responsável pela produção de radicais livres, os poluentes invadem a flora bacteriana, motivando o desequilíbrio do microbioma e, consequentemente, no desencadeamento de vários problemas e doenças de pele. Mas como proteger nosso corpo desse dano? O DermaClub conversou com a dermatologista Tatiana Matos que indicou todos os cuidados para incluir na sua rotina de cuidados.

O que é o microbioma da pele?

De acordo com a médica, o microbioma da pele é o conjunto de microrganismos “bons e ruins” presentes na região cutânea. A pele é formada por bactérias benéficas que protegem nosso corpo das danosas e, consequentemente, da formação de doenças ou crises de complicações pré-existentes na região. Todas elas fazem parte da barreira de proteção cutânea. Para manter seu corpo bem longe de qualquer problema causado pelos microrganismos vilões, precisamos alimentar essas bactérias do bem regularmente.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

A poluição pode desequilibrar o microbioma da pele

A Drª Tatiana afirma que a poluição ambiental tem o poder de alterar a flora bacteriana tanto intestinal, quanto da pele. “Os poluentes reduzem o número de bactérias boas, aumentando as patogênicas, o que acaba favorecendo o estado inflamatório do nosso corpo, a resposta imunológica, além de aumentar a produção de radicais livres”, esclareceu.

Como podemos proteger a pele da poluição e manter o microbioma saudável?

A dermatologista explica: “É importante a limpeza diária com higienizadores específicos e água micelar para limpar profundamente os poros e o uso de substância antioxidantes como a vitamina C e o ácido ferúlico, além do uso diário do filtro solar”. Também é importante:

1) Tomar banho morno e rápido, com sabonetes que consigam manter a hidratação e o pH da pele, preservando o microbioma e garantindo alívio à região;

2) Manter a pele sempre hidratada, mesmo que seja oleosa. Assim você preserva um ambiente favorável para os microrganismos bons.

3) Apostar em um hidratante com ativos prebióticos que favorecem as bactérias boas do microbioma, protegendo a região das doenças de pele;

4) Evitar o uso de produtos muito agressivos para a pele, como sabonetes com alto poder adstringente.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.