Você sabe o que são poros superdilatados? De acordo com a dermatologista Giselle Sanches, de São Paulo, são aqueles pequenos pontos na pele por onde saem os folículos e a oleosidade. “Os pelos e a glândula sebácea dividem o mesmo poro, e em áreas mais oleosas onde há fios mais finos - como a zona T do rosto (testa, nariz e queixo) e em peles mais flácidas causadas pelo envelhecimento - a dilatação desse orifício fica mais aparente e a secreção tende a ser maior, formando os famosos pontinhos escuros no rosto”. Mas como podemos tratá-los? É recomendado manipular essas lesões? O DermaClub, juntamente com a médica, esclarece os melhores cuidados. Confira!

Esses tipos de poros também podem ser chamados de cravos?

Segundo a dermatologista, apesar de não ser um cravo, é normal que muita gente confunda um poro superdilatado com comedões, devido à sua aparência e coloração. Por outro lado, é muito comum aparecer cravos na pele com a obstrução de um poro. “Isso acontece por conta do acúmulo de uma série de impurezas que tentam sair do orifício, mas não consegue ou quando o poro se torna mais dilatado conivente da flacidez, excesso de oleosidade e suor, ‘coletando’ mais resíduos e células mortas no seu interior, fazendo com que inflame”, explicou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Quais tipos de pele costumam ter poros superdilatados?

Segundo a Dra. Giselle, esses tipo de poros podem atingir diferentes tipos de pele. “Geralmente, o quadro é mais frequente em peles mistas e oleosas que apresentam, naturalmente, mais concentração de óleo e células mortas ao redor dos poros. Com isso, os poros ficam inchados, parecendo maiores do que realmente são”, esclareceu. Além disso, o envelhecimento, a perda de elasticidade da pele, e a predisposição genética também são características que contribuem para que os poros fiquem mais evidentes.

Como podemos tratar esse tipos de poros?

Para tratar esse problema, existem tratamentos com o uso de dermocosméticos, além de procedimentos estéticos clínicos que podem ajudar a cuidar dos poros. A médica, listou alguns mais eficazes:

- Medicamentos via oral usados para o tratamento de acne ajudam a deixar a pele menos oleosa;

- Peeling químico com ácido retinoico e laser que promovem uma descamação e renovação das células, melhorando o aspecto da pele;

- Em casos mais graves, onde há cicatriz de acne, pode ser tratado com CO2 fracionado.

- É importante consultar o médico dermatologista para poder ter o melhor diagnóstico e plano de tratamento para a pele!

6 cuidados que ajudam a prevenir os poros superdilatados

De acordo com a médica, para quem tem a pele mais oleosa, o importante é manter a oleosidade sob controle, praticando os seguintes cuidados:

1) Incluir na sua rotina de pele um spray com zinco;

2) Usar protetor solar todos os dias, de preferência com efeito blur;

3) Aplicar cosméticos ricos em antioxidantes;

4) Apostar no uso da solução micelar e de hidratantes leves;

5) Escolher uma maquiagem oil free e não esquecer de tirá-la antes de dormir para evitar o aumento de oleosidade;

6) Fazer esfoliação uma vez por semana para retirar as impurezas e deixar a pele respirar.

O cuidado também deve ser na hora de escolher os produtos adequados para o seu tipo de pele, por isso, o dermatologista é o profissional indicado para ajudar e orientar.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.