Você costuma ultrapassar seus limites? Correr uma maratona cheia de obstáculos, participar de um triatlo ou, de repente, fazer uma série mais pesada do que você costuma na academia. Seja qualquer uma dessas situações, ir ao extremo pode significar um risco para seu organismo e, até mesmo, para a sua pele. Dizem que a prática excessiva de atividades físicas auxilia no acúmulo de radicais livres e causa uma série de malefícios ao corpo. Para entender melhor o assunto, o DermaClub conversou com a dermatologista Carolina Marçon, de São Paulo. Veja só o que ela diz a respeito!

Afinal, fazer atividade física em excesso pode ajudar no acúmulo de radicais livres?

De acordo com a médica, praticar atividade física em excesso pode interferir na pele e na produção de radicais livres. Mas, como isso acontece? “Os nossos sistemas antioxidantes trabalham o tempo todo para compensar o estresse oxidativo - excesso de radicais livres no corpo que são estimulados através da poluição, radiação UV, má alimentação, entre outros fatores. O excesso de exercícios acaba gerando um estresse oxidativo ainda maior, e isso acaba deixando nosso organismo em um estado pró-oxidativo, ou seja, inflamado”, explicou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Os efeitos desse acúmulo de radicais livres no corpo e na pele

Portanto, o excesso de radicais livres gera um processo inflamatório no organismo, o que reflete na degradação das fibras de colágeno, acelerando, assim, o envelhecimento da pele. “É bem comum ver atletas que praticam esportes de alto impacto com linhas de expressão, flacidez e manchas pelo corpo. Dependendo do tipo de atividade, ainda podemos contar com os valores somatórios, como a exposição solar que um maratonista enfrenta em uma prova”, disse. Então, neste cenário, além da oxidação interna, existe o contato com os raios UV. Toda essa somatória pode aumentar a incidência de câncer da pele e do fotoenvelhecimento.

Previna o estresse oxidativo praticando exercícios na medida certa

Apesar disso, você não precisa parar de fazer atividades físicas para prevenir o excesso de radicais livres, basta fazê-los de forma moderada. “Exercícios são extremamente benéficos para o organismo e favorecem uma série de vantagens para o corpo - desde a melhora do condicionamento físico até da qualidade de vida”, garantiu a médica. Caso não seja possível, existem várias medidas que podem minimizar os efeitos do estresse oxidativo, como: “O uso de suplementos, dermocosméticos antioxidantes - vitamina C e E - e uma alimentação adequada”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.