Os cuidados com a pele podem ir muito além do uso tópico de dermocosméticos. Existem procedimentos que fazem sucesso nos consultórios dermatológicos e trazem uma série de benefícios para o seu rosto, um deles é a aplicação da toxina botulínica (botox). A técnica é muito famosa por acabar com aquelas rugas mais marcadas, como os “pés de galinha”, mas por trás do tratamento existe uma grande dúvida: a toxina botulínica é considerada um preenchimento facial? A fim de esclarecer essa questão, o DermaClub conversou com a dermatologista Christiane Gonzaga, do Rio de Janeiro.

A aplicação da toxina botulínica é um tipo de preenchimento?

De acordo com a médica, apesar de muita gente fazer essa comparação, a aplicação da toxina botulínica é bem diferente do preenchimento com ácido hialurônico ou outras substâncias: “O primeiro procedimento é mais utilizado para tratar as marcas de expressão do terço superior da face. Ou seja, se ao sorrir formam-se os temidos 'pés de galinha', a toxina botulínica é a solução mais indicada. O mesmo ocorre com a ruga que se forma entre as sobrancelhas ou as linhas horizontais na testa”, explicou. A principal função da substância é paralisar os músculos localmente, para que as marcas não se aprofundem com as expressões do dia a dia.

Já o preenchimento com ácido hialurônico é utilizado para repor o volume a determinada parte do rosto ou atenuar sulcos profundos. “A técnica tem por objetivo redefinir contornos da face - queixo, mandíbula, nariz, maçãs do rosto - e tratar rugas estáticas, como os sulcos naso-labiais (conhecido como “bigode chinês”) e sulco naso-jugal (olheiras). Também pode ser usado para repor volume de regiões como lábios e mãos”, detalhou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Quais são as indicações para ambos?

A Dra. Christiane conta que a indicação de ambas as substâncias são para peles com rugas - sejam elas mais profundas ou ainda finas. “A toxina botulínica é mais utilizada para tratar as marcas de expressão do terço superior da face, como os pés de galinha, as linhas na testa e a ruga entre as sobrancelhas. Já o ácido hialurônico é indicado para preencher sulcos profundos e dar volume a determinada área”, ressaltou.

Entenda os cuidados que devemos ter com os dois:

Em primeiro lugar, é importante realizar ambos os procedimentos com um dermatologista ou cirurgião plástico de confiança e competência. “Certifique-se da procedência do material utilizado, converse abertamente com o profissional para que todas as suas dúvidas sejam esclarecidas, alinhando a expectativa do tratamento com o resultado que vai ser conquistado”. Com a ajuda do profissional correto, esses procedimentos serão realizados com segurança, garantindo um resultado o mais natural possível e preservando as características faciais de cada paciente.

Após os tratamentos, é comum leve dor, inchaço e hematoma no local, sintomas que desaparecem ao final de uma semana. Nesses casos, a dermatologista indica: “Para diminuir o desconforto, é recomendado aplicar uma compressa de gelo durante 15 minutos nas primeiras 24 horas. Também evite a exposição solar durante a fase com hematomas”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.