Quem usa dermocosméticos com ácidos em sua fórmula, garante uma série de benefícios à pele, como a esfoliação química, que proporciona uma renovação celular; o clareamento de manchas; a diminuição de rugas e linhas finas e até a melhora da hidratação. Mas além das vantagens que esses ativos oferecem, também é importante entender quais cuidados diários devemos ter com esses produtos para preservar sua ação e eficácia. Para esclarecer, o DermaClub conversou com a dermatologista Betina Stefanello, do Rio de Janeiro. Confira!

Conheça os principais ácidos contidos na formulação dos dermocosméticos

Retinol (derivado do ácido retinóico): atua no clareamento de manchas e sinais comuns ao envelhecimento, como rugas e linhas de expressão. Por estimular a renovação celular da pele e aumento de colágeno, clareia as manchas e previne o envelhecimento precoce. Como é usado apenas como medicamento, precisa ser prescrito pelo dermatologista.

Ácido glicólico: é um alfa-hidroxiácido capaz de promover uma renovação celular ao mesmo tempo que hidrata a pele, promovendo o rejuvenescimento, clareamento de manchas e redução de lesões de acne.

Ácido salicílico: é um beta-hidroxiácido com propriedades esfoliantes e seborreguladoras. Ajuda a diminuir o espessamento da pele, tem ação calmante; evita a contaminação de bactérias e fungos; e promove renovação celular, removendo as células mortas e o excesso de oleosidade.

Ácido ferúlico: é uma substância fenólica com propriedade antioxidante, hidratante e clareadora, ajudando na uniformização do tom da pele ao mesmo tempo que previne o aparecimento dos sinais do envelhecimento precoce.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Ácido L-ascórbico: é o nome químico da vitamina C. Possui ação antioxidante no combate dos radicais livres e do envelhecimento precoce. Estimula a produção de colágeno, o que reduz rugas e flacidez, e ajuda na uniformização da cor da pele.

Ácido dioico: o ácido dióico tem ação calmante e antibacteriana. Auxilia no clareamento e na melhora das imperfeições da pele.

Ácido cítrico: classificado como um AHA (alfa-hidroxiácido), é um componente de peelings químicos, muito utilizado para promover a renovação celular e clareamento da pele.

LHA: é um derivado lipofílico do ácido salicílico. Possui ação queratolítica, que ajuda a impedir a formação de cravos, sem provocar a irritação, que, muitas vezes, o ácido salicílico promove.

Ácido hialurônico: conhecido pelas suas propriedades hidratantes, melhora o viço da pele sem agravar a oleosidade, suaviza rugas e linhas de expressão para um rejuvenescimento eficaz.

Ácido tranexâmico: promove o clareamento da pele agindo sobre a inflamação entre outros fatores. Assim, o ácido tranexâmico é uma ótima opção para o tratamento de qualquer mancha, mas também naquelas manchas originadas por um processo inflamatório.

Ácido kójico: inibe a produção da melanina na pele e promove a sua uniformidade. É eficaz no cuidado da hiperpigmentação sem causar reações de sensibilidade.

4 cuidados que devemos ter com esses produtos ácidos

De acordo com a médica, cada ativo ácido tem as suas diferentes recomendações. “Um ácido é diferente do outro, podem apresentar faixas de pH diferentes”. Sendo assim, a dermatologista indica alguns cuidados que devemos ter com esses ativos:

1) Não deixar na horizontal: esse cuidado é importante para não corroer a pipeta. Deixe sempre seus dermocosméticos com ácidos na vertical. Além disso, evite colocá-los em bolsas ou nécessaire que correm o risco de ficarem deitados.

2) Não deixar aberto: isso vale para qualquer dermocosmético, pois ajuda a não volatizar alguns ativos, inclusive os ácidos e álcoois.

3) Não deixar no sol: muitos são fotossensíveis - que não podem ficar na luz solar - e muitas vezes já têm uma coloração escura da embalagem, justamente para proteger dessa radiação para não cair a potência deles. No entanto, é sempre bom deixar esses produtos bem longe do sol e em um local arejado, como no armário do banheiro.

4) É importante refrigerar alguns: essa recomendação serve para preservar os ativos, mas não vale para todos os dermocosméticos. Vai depender da especificação na embalagem do produto. Por isso, fique atenta e consulte sempre um dermatologista para esclarecer essas medidas.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.