O uso do filtro solar é essencial na rotina de cuidados com a pele e ajuda na proteção de várias doenças, como as manchas de melasma e o melanoma. Mas como existem tipos diferentes desse produto, sempre ficam dúvidas sobre qual é o mais indicado. O DermaClub conversou com a dermatologista Christiane Gonzaga, do Rio de Janeiro, que esclareceu as diferenças desses filtros e seus benefícios.

As diferenças e os benefícios dos protetores solares com filtros químicos e físicos

Filtros químicos: segundo a médica, os filtros químicos ficam na superfície da pele e absorvem a radiação solar antes que ela alcance a pele, transformando-a em uma energia que não causa danos e liberando-a para ambiente outra vez. “O produto reage com a radiação, impedindo a penetração da mesma na pele. Com isso, ele cria um efeito que chamamos de proteção química”, esclareceu.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Filtros físicos: já os filtros físicos formam uma espécie de barreira protetora na pele, um como se fosse um espelho. São compostos por minerais, as mais utilizadas são dióxido de titânio e óxido de zinco, e sua formulação não é absorvida pela pele. Diferente dos filtros químicos, eles não reagem e, sim, refletem os raios, ou seja, os raios batem no filtro e são refletidos para o ambiente”, garantiu.

Qual é o filtro mais indicado para cada tipo de pele?

Filtros químicos: são indicados para todos os tipos de pele, pois estão disponíveis em diversas versões como, creme e gel, e para pessoas que não apresentam nenhum tipo de restrição aos componentes. “Esses filtros são os mais usados no dia a dia, por serem de fácil aplicação e mais adaptáveis na rotina diária”

Filtros físicos: indicados para gestantes, crianças, atletas que praticam exercícios ao ar livre, pessoas de pele muito sensível, pessoas alérgicas ao filtro solar químico e pessoas que estão com a pele sensibilizada pós-procedimentos estéticos.

Ambos ajudam a proteger a pele contra a radiação solar.

Além do filtro, quais outras características o produto deve ter?

A Drª Christianne atenta que é preciso ficar de olho também no fator de proteção solar, o FPS, que quantifica a proteção que um determinado filtro é capaz de oferecer. “Para peles negras, é indicado o FPS 15 no dia a dia e o FPS 30 em momentos de exposição solar. Em peles claras, o FPS 30 é recomendado para o dia a dia e, em momentos de exposição, o FPS 60 (ou mais)”, esclareceu a dermatologista.

Dermatologista:

Drª. Christiane Gonzaga // CRM: 52646652

Dra. Christiane Gonzaga é especialista em Dermatologia, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia. É membro da Sociedade Internacional de Dermatologia, membro da Sociedade Americana de Dermatologia Cosmética e membro da Academia Americana de Dermatologia. A especialista faz constantes atualizações nos mais importantes Congressos Dermatológicos nacionais e internacionais.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.