Muito mais que proteger a pele da radiação, você sabia que existe um filtro solar que é capaz de prevenir e corrigir rugas, manchas, linhas de expressão e outros sinais do envelhecimento do seu rosto? É importante adotar uma rotina de cuidados preventiva e apostar no uso de produtos específicos, e um protetor solar anti-idade pode fazer toda diferença neste momento.

Que tal incluir esse item no seu ritual de beleza e garantir uma aparência muito mais jovem? O DermaClub conversou com a dermatologista Flávia Addor, de São Paulo, que explicou como escolher o melhor filtro e os ativos necessários para combater as marcas do tempo. Veja só!

Contra rugas, manchas: conheça os diferenciais de um filtro solar anti-idade

Naturalmente, o uso diário de um filtro solar comum já ajuda a prevenir a formação dos primeiros sinais do envelhecimento da pele. Por outro lado, quando o produto possui ativos antioxidantes e anti-idade, essa ação se torna mais potente e ainda ajuda a minimizar aquelas marcas do tempo já instaladas no rosto. A Drª Flávia ressalta: “Um protetor solar bem formulado consegue prevenir os sinais do fotoenvelhecimento, que são as rugas finas e as manchas”.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Qual é o melhor protetor solar anti-idade para cada tipo de pele?

Tudo vai depender das características da sua pele. “As pacientes mais jovens, em sua maioria, costumam ter mais oleosidade. Sendo assim, produtos com textura mate e toque seco são os mais indicados. Já após a menopausa e nas pessoas com mais idade, a tendência é ter a pele mais seca, neste caso é melhor optar por formulações mais cremosas”, esclareceu a médica. É bom ressaltar que isso não é uma regra e existem algumas exceções dependendo do caso. Sendo assim, antes de comprar o produto, procure seu dermatologista!

Conheça outros atributos que o filtro solar deve ter:

- FPS 30, no mínimo;
- Amplo espectro
- Proteção ultravioleta A (UVA) de pelo menos 1/3 do FPS, ou seja, com valor 10 no caso de um FPS 30;

“A proteção UVA é muito importante, pois evita a formação de radicais livres e a degradação do colágeno, elastina e da melanina.”, ressaltou a especialista.

Ativos que devem ter em um protetor solar anti-idade

A Drª Flávia conta que o filtro solar pode ter ativos antioxidantes, que ajudam a combater os radicais livres desencadeados pela radiação solar e que atacam várias estruturas da pele. Com essas substâncias, conseguimos evitar a aceleração do envelhecimento, além de reduzir o risco de câncer da pele. Nesses casos, é recomendado:

- Ácido hialurônico;
- Vitamina E;
- Vitamina C;
- Ativos antiglicantes.

Conheça o protetor solar Idéal Soleil Anti-idade, de Vichy

Com alta proteção solar e um fitocomplexo de ativos, Idéal Soleil Anti-idade, de Vichy, ajuda a combater as principais causas do envelhecimento: fotoexposição, oxidação e glicação. Com vitamina E e CAMU CAMU – fruto da biodiversidade brasileira com 50x mais vitamina C que a laranja - e Kombucha, a fórmula possui alto poder antioxidante e antiglicante, ajudando na suavização das linhas finas e rugas, preservação da firmeza e aumento da luminosidade. Além disso, a fórmula oferece toque seco e suave.

Como incluir o protetor na rotina de pele anti-idade?

A dermatologista explica que a aplicação deve ser logo pela manhã - depois da limpeza e hidratação da pele. “A radiação Ultravioleta A aparece logo que amanhece, e mantém sua ação oxidativa ao longo do dia, diferente do UVB, que se torna mais forte das 10h às 15h. Além disso, a aplicação deve ser repetida após lavar o rosto, escovar os dentes ou quando se expor diretamente ao sol, a reaplicação ao longo do dia a cada duas horas deve ocorrer se houver muita transpiração ou exposição solar prolongada.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

**Essa matéria foi atualizada no dia 23 de Julho de 2019 por Lívia D'Ambrosio