Você já ouviu falar na luz visível? Ela é a parte da radiação solar que conseguimos ver - a claridade do sol - e que também pode ser emitida pela tela de aparelhos eletrônicos, como celulares, tablets, computadores, além da luz de lâmpadas fluorescentes. Os danos à pele podem provocar o envelhecimento precoce e o surgimento de manchas escuras na pele, como o melasma. Mas como podemos nos proteger dessa agressão? Usar um filtro solar com cor ajuda a prevenir os danos causados pela luz visível? O DermaClub esclarece!

Quais problemas a luz visível pode trazer à pele?

Você sabia que a luz visível corresponde a cerca de 40% do total da radiação que chega ao planeta? Ela consegue penetrar profundamente na pele através da tela de celulares, tablets, computadores, lâmpadas fluorescentes e do vidro das janelas. Apesar de parecer inofensiva para alguns, essa “claridade” é capaz de ocasionar uma série de problemas na pele, um deles é o melasma - manchas escuras e amarronzadas que surgem no rosto e pescoço.

Na verdade, a chamada luz azul - uma parte da luz visível que possui grande energia - está relacionada com várias doenças de pele, como manchas, queimaduras e até mesmo o temido envelhecimento precoce.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

O protetor solar com cor protege contra a luz visível?

De fato, os filtros solares comuns não são capazes de proteger a pele contra a luz visível. Mas uma série de estudos indicam que a melhor proteção para essa radiação é feita com protetores com cor. Por isso, é importante usá-lo, mesmo em ambientes fechados. É importante frisar que essa proteção depende sempre do tipo e intensidade dos pigmentos que dão cor à fórmula - por isso, procure sempre o seu dermatologista antes de investir no melhor protetor solar.