A psoríase é uma doença inflamatória crônica, que pode acometer a pele e as articulações. formando lesões caracterizadas por placas vermelhas, descamativas, bem delimitadas, principalmente nos cotovelos e joelhos - mas podendo ocorrer em qualquer parte do corpo, como unhas e cabelos. Mas como podemos tratar essa doença de pele? Muitas pessoas dizem que a psoríase melhora com a exposição solar: será verdade? Para esclarecer essas e outras dúvidas sobre o assunto, o DermaClub conversou com a dermatologista Lilia Guadanhim, de São Paulo. Confira!

É verdade que a psoríase melhora com o sol?

A médica explica que, de uma maneira geral, o sol pode sim melhorar a psoríase, graças ao efeito anti-inflamatório e imunomodulador da radiação solar. Mas, por outro lado, essa exposição deve ser feita de maneira controlada. “Passar muito tempo em contato com os raios UV pode desencadear novas lesões, como o chamado ‘Fenômeno de Koebner’ - que é o desencadeamento de feridas por traumas, como machucados, queimaduras ou agressões à pele em geral, muito comum em pacientes com doenças inflamatórias como a psoríase”, explicou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Qual é o horário apropriado para pegar sol e tratar a psoríase?

Depende. De acordo com a Dra. Lilia, a exposição solar pode ser feita, mas sempre com muito cuidado, principalmente em pacientes com psoríase. E deve idealmente ser orientada por um dermatologista. “A radiação solar contém raios UVA (constante durante o dia) e UVB (abundante entre 10 horas e 16 horas) e ambos proporcionam ação anti-inflamatória, antiproliferativa e imunossupressora”, esclareceu a médica.

Outro cuidado que ajuda a tratar a psoríase é a fototerapia - “Um procedimento feito com radiação UVA ou UVB com tempo e intensidade de radiação controlados, se tornando a alternativa mais segura de cuidado da doença de pele”, ressaltou. Além disso, ao optar por este tratamento, o médico leva em consideração as características do paciente, os riscos e benefícios dessa modalidade.

Além do sol: 5 cuidados para se ter com a psoríase

1) Evite qualquer tipo de trauma na pele - desde físicos, químicos, elétricos, cirúrgicos, infecciosos, inflamatórios e até escoriações -, pois isso desencadear lesões e manchas vermelhas;

2) Fique atento ao uso de medicamentos. Alguns podem desencadear ou agravar quadros de psoríase. Deixe seu dermatologista sempre atualizado;

3) Pare de fumar! O tabagismo pode provocar a piora da psoríase;

4) Álcool também se torna um fator de risco para a doença de pele;

5) Leve uma vida mais tranquila. O estresse é outro fator capaz de agravar o quadro.

A psoríase não é uma doença contagiosa. Se informe mais e cure o preconceito da doença de pele!

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.