As espinhas são bem incômodas e podem causar uma série de problemas à sua pele, como cicatrizes e manchas escuras. Além daquelas feridas comuns, também existem as espinhas internas, que levam esse nome porque não têm abertura ou pus visível. Elas também costumam ser palpáveis, doloridas e, muitas vezes, evoluem para um grande inchaço. Você sabe as causas dessas lesões? Quais fatores podem desencadear essas espinhas? O DermaClub bateu um papo com a dermatologista Tatiana Mattos, de Salvador, que esclareceu essas dúvidas.

O que pode causar uma espinha interna?

As espinhas internas, também conhecidas como pápulas eritematosas inflamatórias que não evoluem para pústula, são lesões que surgem nas camadas mais profundas da pele. Elas podem até erupcionar com o tempo, mas, quando isso não acontece, ficam bastante doloridas. De acordo com a Drª Tatiana, essa acne se forma por uma junção de fatores: “Pelo hipersecretor da glândula sebácea associada à obstrução da glândula pela queratina e pela colonização de bactérias na região, que evitam a saída da inflamação”

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

A espinha interna só aparece na pele oleosa?

Sim, elas são mais comuns na pele oleosa, já que a produção de oleosidade é maior e torna mais fácil o entupimento das glândulas sebáceas devido ao acúmulo de sebo. Entretanto, essas lesões podem se desencadear em todos os tipos de pele - mista, normal e até mesmo a pele seca, mesmo que seja menos comum.

5 cuidados para prevenir as espinhas internas

- Lave seu rosto todos os dias com sabonetes faciais adequados para o seu tipo de pele com ativos que ajudam a controlar o excesso de oleosidade do rosto;
- Use produtos seborreguladores, como um tônico adstringente que ajuda a contrair os poros, na sua rotina de cuidados com a pele;
- Se a sua pele for muito oleosa, aposte em um cuidado antiacne para evitar que um comedão comum se torne numa espinha interna;
- Hidrate o rosto todos os dias - esse cuidado ajuda a prevenir o excesso de oleosidade na pele;
- Use protetor solar todos os dias, principalmente aquele que controla a produção de sebo e tenha efeito matte ou toque seco.

Um dermatologista pode indicar opções de produtos que controlem a oleosidade da pele e a produção de sebo, evitando as espinhas.

Podemos manipular as espinhas internas? Saiba como tratar essas lesões

Jamais podemos manipular uma espinha! A dermatologista explica: “Esse tipo de lesão não vai drenar ao ser espremida, só vai ficar mais inflamada”. A melhor forma de tratar a lesão é procurando um dermatologista, que, muitas vezes, pode indicar o uso de medicamentos via oral.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.