A radiação solar chega, a cada ano que passa, com maior intensidade à superfície da terra. Por isso, os fotoprotetores cada vez mais são aprimorados para oferecer uma melhor proteção da pele. Porém, nenhum desses esforços têm resultado satisfatório se o paciente não se preocupa em utilizar os produtos adequados e tomar as melhores decisões para o próprio corpo. O DermaClub te explica quais são os riscos das queimaduras solares e como é possível prevenir e tratar o quadro. Confira!

Descubra quais riscos a pele corre com queimaduras provocadas pelo sol

Segundo especialistas, uma única queimadura solar grave - que leve a formação de bolhas no corpo - é responsável por dobrar os riscos do surgimento de melanoma. “A exposição solar é responsável por casos de câncer de pele. Cerca de 90% dos melanomas estão relacionados à radiação UV e também pelo fotoenvelhecimento, que se manifesta através de rugas e manchas”, explicou a dermatologista Lilia Guadanhim, da cidade de São Paulo.

Saiba como prevenir a pele das ações dos raios solares

Segundo especialistas, a proteção solar deve ser iniciada a partir dos seis meses de idade. O indicado é que usem para o dia a dia o filtro com FPS de, no mínimo, 30, enquanto que em dias de maior exposição ele deve ser acima de 60. Não se esqueça de procurar auxilio de um profissional da Sociedade Brasileira de Dermatologia para escolher o produto ideal para sua pele.

A atenção deve ser redobrada em períodos de sol intenso

Para a dermatologista Flávia Addor, de São Paulo, a fotoproteção ideal é um conjunto de atitudes. Confira uma lista feita pela médica para aproveitar o calor sem perigo:

- Procure ficar na sombra;
- Use chapéus com abas largas;
- Use protetores solares adequados às necessidades da sua pele;
- Evite horários de pico;
- Aposte nos produtos em spray para o corpo, pois são ótimos veículos para retoques na praia ou piscina;

Se a pele já sofreu a queimadura é importante cuidar da agressão

A principal e imediata medida após a queimadura é afastar do sol até a total recuperação. É indicado o uso de cremes hidratantes com substâncias calmantes, além de banhos rápidos e com temperatura morna. “Deve-se ingerir água em boa quantidade para não haver desidratação. Além disso, é importante buscar atendimento médico para análise completa do quadro. E, em casos de dor, os cremes devem conter ativos calmantes”, indicou a dermatologista Juliana Jordão, de Curitiba.

A aplicação de vitamina C na pele também é interessante após a exposição solar. O sol é capaz de acabar com os estoques dessa vitamina C na pele. Dessa forma, use diariamente um antioxidante para aumentar a proteção de sua pele.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.