Quem tem pele oleosa também tem cabelo oleoso e vice-versa? Segundo a dermatologista Juliana Jordão, de Curitiba, a relação entre as duas situações é possível, mas não é uma regra. Lidar com a oleosidade nessas áreas é um incômodo no dia a dia de qualquer um, mas existem produtos e tratamentos que auxiliam no equilíbrio do sebo em ambas as regiões. Confira as características de cada caso, sua relação e como controlá-los!

Entenda como identificar rosto e cabelo oleosos

De acordo com a médica, identificar se o rosto ou cabelo tem excesso de oleosidade é um processo simples. “Em geral, a face é brilhosa, com poros dilatados, que podem ser acompanhados de comedões e outras lesões de acne. Já quando o assunto são os fios, eles também costumam ter brilho excessivo e podem evoluir para a descamação, conhecida como dermatite seborreica”, explicou.

Cabelo e pele oleosos podem ter relação

Segundo a especialista, a relação entre os dois existe, porém, não é uma regra. “Eles podem ocorrer de forma simultânea ou isolada, não precisam estar, necessariamente, relacionados. A oleosidade excessiva pode ocorrer devido a um desequilíbrio hormonal, como no caso da síndrome dos ovários policísticos (SOP), ou por características genéticas do paciente”, esclareceu.

Saiba como cuidar do rosto oleoso

Para a dermatologista, o principal para equilibrar um rosto oleoso é o uso de produtos apropriados que atendam as necessidades desse tipo de pele. “Para controlar a oleosidade sugere-se o uso de cremes com ácido retinóico, salicílico ou glicólico, associado a dermocosméticos matificantes, que absorvem e reduzem a oleosidade ao longo do dia”, disse, acrescentando que sabonetes específicos e esfoliantes devem ser usados regularmente.

Descubra como controlar a oleosidade nos fios

De acordo com a médica, as melhores opções para quem tem os cabelos oleosos são shampoos que contenham ácido salicílico em suas formulações e sejam apresentados em gel. “Para pacientes que precisam de medidas emergenciais, como, por exemplo, um evento, o shampoo a seco é uma forma de camuflar o brilho excessivo”, disse. “Em casos mais severos tanto para pele quanto o cabelo, utilizamos tratamento via oral”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.