A água termal é conhecida pela sua função calmante, tonificante e anti-inflamatória, além de ser muito usada no tratamento da dermatite atópica e pele sensível no geral. Isso porque sua fórmula é rica em sais minerais, além de ter pH alcalino ou neutro, ao contrário da comum, que costuma ter pH ácido. De acordo com a Dra. Vanessa Metz, a água termal pode ser usada em todos os tipos de pele, e em várias situações, tanto após procedimentos dermatológicos como para refrescar o rosto ao longo do dia. Confira 9 formas de usar o produto e incluí-lo em sua rotina de cuidados!

1) Após fazer um peeling ou outros procedimentos dermatológicos

Tratamentos abrasivos, como o peeling facial, podem deixar a pele mais sensível e ressecada. Nesses casos, a médica recomenda a utilização do dermocosmético em baixas temperaturas para melhores resultados. “Quando o paciente faz a aplicação, a pele já fica melhor. Conserve na geladeira e use geladinha, pois isso acalma ainda mais”, sugeriu.

2) Para o alívio de queimaduras solares

Foi à praia ou à piscina e se expôs demais ao sol sem a proteção ideal? Para amenizar a sensação de ardor de queimaduras leves, borrife gotículas de água termal na pele, que vai conferir um efeito calmante.

3) Tem ação antioxidante: protege as células dos radicais livres

A água termal é composta por sais minerais e oligoelementos, que tem propriedades antioxidantes que neutralizam os radicais livres, que são responsáveis pelo envelhecimento da pele.

4) Para refrescar a pele durante exercícios físicos

Já pensou em levar a água termal em sua mochila da academia? As microgotas do dermocosmético conferem alívio imediato à pele exposta ao calor e ao suor, conferindo refrescância e mais gás para o seu exercício!

5) Acalma a pele sensibilizada no pós-barba e pós-depilação

As agressões comuns desses dois procedimentos costumam causar irritação nos poros. Para aliviar a sensação de ardência, a água termal é ideal para acalmar a pele, já que suas características anti-inflamatórias ajudam na recuperação da mesma.

6) Para o alívio de irritações, vermelhidões e coceiras

Picadas de insetos e alergias de pele costumam deixar marcas na pele e coçam bastante. Nesses casos, o produto pode ajudar na cicatrização dessas feridinhas e também alivia a irritação.

7) Para diminuir o rosto inchado ao acordar

A água termal é uma ótima opção para ser usada logo ao acordar. Guarde-a na geladeira e borrife o produto no rosto. O inchaço matinal sumirá logo, além da sensação geladinha ajudar a que você acorde mais rápido!

8) No pré e pós-maquiagem

Por sua ação tonificante, a água termal pode fazer parte da limpeza da pele pré-maquiagem. Basta borrifar o produto e esperar que ela absorva e, logo após, dar início ao make. Além disso, experimente fazer o mesmo após a conclusão do look, o que vai ajudar a fixá-lo por mais tempo.

9) Água termal também é boa para o cabelo 

Dra. Vanessa lembra que o produto não serve somente para a pele do rosto e corpo. O cabelo também pode receber os benefícios da água termal, principalmente em dias de praia ou piscina, podendo ser borrifada para remover o excesso de sal e cloro dos fios.

Dermatologista:

Drª Vanessa Metz / CRM: 52794953

Dra. Vanessa Metz é especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, formada em medicina pela Faculdade Souza Marques e pós-graduada em dermatologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Foi vice-presidente da Associação dos Dermatologistas da UERJ (ADUERJ) no ano de 2009 e professora substituta do serviço de Dermatologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto no ano de 2010. É sócia efetiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da Academia Americana de Dermatologia (AAD). Está em constante atualização participando de cursos e congressos no Brasil e exterior para trazer aos seus pacientes o que há de mais moderno.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 

** Esta matéria foi atualizada no dia 20/09/2018