O ácido hialurônico é um ativo super hidratante que compõe a formulação de vários produtos de skincare. Mas além disso, você sabia que essa substância também é encontrada naturalmente na nossa pele? Sua molécula ajuda a reter água na camada cutânea mais profunda, a derme, que auxilia na hidratação natural do corpo.

Por outro lado, com o passar dos anos, nosso organismo acaba perdendo esse ingrediente, deixando a região com rugas, flacidez, olheiras, entre outros sintomas do envelhecimento precoce. Para reverter essa situação o DermaClub conversou com a dermatologista Lilia Guadanhim, de São Paulo, que esclareceu o que acontece quando não repomos ácido hialurônico e qual a melhor maneira de devolver a substância para a pele.

O que é o ácido hialurônico?

De acordo com a médica, o ácido hialurônico é um glicosaminoglicano. Isso significa que ele é um dos principais componentes da chamada matriz extracelular da pele. “A substância está presente no organismo e em todos os órgãos do nosso corpo, em diferentes proporções - sendo que 56% da pele é composta por esse ingrediente”, explicou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

O que acontece com a nossa pele quando não repomos essa substância?

O ácido hialurônico é naturalmente produzido e degradado, sendo que com o avançar da idade, ocorre uma queda da produção e aumento da sua quebra, o que contribui na perda de elasticidade, hidratação e, consequentemente, para o surgimento de rugas, perda de volume, preenchimento e contornos.. Sendo assim, os primeiros sinais que indicam a degradação dessa substância no corpo são:

- Flacidez;
- Rugas (pés de galinha e o bigode chinês);
- Linhas de expressão;
- Olheiras.

Como podemos repor ácido hialurônico?

A Drª Lilia conta que o ácido hialurônico pode ser usado de forma tópica ou injetável. Através dos dermocosméticos, ele proporciona hidratação e o estímulo da produção de ácido hialurônico pelo próprio organismo - dependendo do peso molecular presente no produto. Fórmulas mais completas e avançadas ainda associam ativos que estimulam a produção endógena de ácido hialrônico e inibem a sua degradação no organismo para um efeito booster potente.

Nos procedimentos estéticos, a substância tem função de: “Modelar a estrutura facial (principalmente nas maçãs do rosto), contorno (têmporas, queixo e mandíbula), refinamento (olheiras, bigode chinês, linhas de marionete, lábios), e melhorar a qualidade da pele”, esclareceu. Os resultados são visíveis, imediatos e podem durar de 3 meses a 2 anos - dependendo do produto utilizado e da região tratada.

A escolha do profissional é fundamental para a segurança do procedimento e para que os resultados sejam naturais!

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.