Quando falamos de pele sensível, logo pensamos nos sintomas mais comuns desta condição - manchas vermelhas, coceira, queimação e repuxamento do rosto. Por conta dessas reações, quem apresenta essa fragilidade, acaba se abstendo de alguns hábitos, uso de dermocosméticos ou procedimentos estéticos com medo da pele apresentar algum comportamento diferente. Mas afinal de contas, o que pode e que não pode ser feito em quem tem sensibilidade cutânea? O DermaClub fez uma lista com tudo o que é permitido e proibido nesta situação. Confira!

Depilação a laser, com cera ou lâmina: pode ou não pode?

Pode. Porém, como a pele costuma ficar ainda mais fragilizada após o procedimento e com risco de reproduzir uma foliculite, é importante tomar alguns cuidados antes e depois da depilação. Sendo assim, o ideal é higienizar a região com sabonete ou gel de limpeza neutro sem parabenos, álcool ou perfume na fórmula; borrife um pouco de água termal para evitar qualquer irritação; por último, aplique um hidratante com ingredientes suaves, como a manteiga de karité, glicerina e a nicotinamida (vitamina B3).

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Banhos quentes: pode ou não pode?

É bom evitar. O banho quente até pode ser relaxante e aquecer o seu corpo nos dias frios, mas para a pele sensível, não traz benefícios. Tomar uma chuveirada nessa temperatura, deixa a região avermelhada, com coceira e muitas irritações. Por isso, prefira a água morna a fria e nunca deixe de hidratar a pele após a higiene.

Peeling físico e químico: pode ou não pode?

Pode, com cautela. Os peelings - tanto físico quanto químico - são procedimentos realizados com substâncias ácidas que proporcionam descamação e renovação à pele de forma superficial ou profunda, dependendo dos ativos utilizados. Portanto, é considerado uma técnica que, de certa forma, acaba agredindo o rosto, gerando vermelhidão, ressecamento e aspereza. Todas essas características tornam o tratamento delicado para a pele sensível, por isso, deve ser feito apenas em consultório de dermatologista.

Microagulhamento: pode ou não pode?

Não pode. Pelas características de como é feito, o procedimento não é recomendado para quem tem a pele sensível. Funciona assim: o dermatologista desliza um roller que contém várias microagulhas bem finas pela pele, que acaba promovendo um pequeno trauma com sangramento e vermelhidão, induzindo a formação de colágeno na região.

Hidratação: pode ou não pode?

Não só pode, como deve. Hidratação é a palavra-chave para manter a pele sensível macia, suave, sem manchas vermelhas, alergias e descamações. Neste caso, o ideal é apostar em um produto com ativos que ajudam a nutrir, acalmar e recompor a barreira hidrolipídica - como a glicerina, vitamina B3 e manteiga de karité.

Limpeza de pele profunda: pode ou não pode?

Pode, mas com alguns cuidados. Na limpeza de pele do rosto sensível, devemos: abrir mão da esfoliação, extrair cravos e espinhas manualmente e optar por uma máscara facial com ativos calmantes e que ajudem a refrescar a região. Para a sua segurança, procure um dermatologista para realizar o procedimento.

Pegar sol: pode ou não pode?

Pode sim, mas sempre com filtro solar. A pele sensível acaba se tornando mais fragilizada com a alta exposição solar. Sendo assim, o mais indicado é pegar sol nos horários mais apropriados - antes das 10 horas da manhã e depois das 15 horas da tarde - e sempre usando o protetor com amplo espectro e com FPS 30, no mínimo.