Você já ouviu falar em melasma? São manchas escuras, meio amarronzadas, que surgem, na maioria das vezes, no rosto. Essas marcas costumam aparecer bastante na região da bochecha, testa e buço após uma intensa exposição solar, durante a gravidez ou devido ao uso prolongado de pílula anticoncepcional. Embora não exista cura para esse problema, existem formas de controlar os sintomas com tratamentos, que podem ser feitos em qualquer época do ano, mas, preferencialmente, no inverno. Para entender melhor como funciona, o DermaClub entrevistou a dermatologista Juliana Jordão, de Curitiba.

Como é feito o tratamento e a manutenção do melasma?

De acordo com a médica, os primeiros cuidados se iniciam ainda em casa. “Com o uso de cremes à base de ácido retinóico ou glicólico, PhE-resorcinol, hidroquinona, ácido kójico, arbutin e resveratrol”, disse. Outros ativos importantes no tratamento são as vitaminas E e C tópicas, ácido ferúlico, consideradas excelentes antioxidantes e que maximizam a ação do protetor solar - que deve ter FPS 30, no mínimo, e ser aplicado regularmente a cada duas horas ao longo do dia.

Em seguida, a terapia precisa continuar no consultório dermatológico. Para diminuir as manchas, o profissional aposta nos peelings clareadores, lasers e indução percutânea de colágeno com agulhas (IPCA). "Estes procedimentos são bem respondidos pelos pacientes, além de serem pouco agressivos. Para garantir um resultado de sucesso, todos devem ser realizados em clínicas por um médico dermatologista”, ressaltou.

É possível cuidar das manchas o ano todo com a ajuda de dermocosméticos

A temporada fria é, geralmente, a época mais comum para fazer procedimentos dermatológicos, como peelings e lasers, próprios para o tratamento de melasma. No entanto, é possível cuidar das manchas em qualquer época, aplicando e reaplicando o filtro solar e dermocosméticos calmantes, que ajudam a revitalizar a pele.

Além dos tratamentos clínicos do melasma, é possível clarear as manchas o ano inteiro com o uso tópico de dermocosméticos. Basta investir em produtos com os ativos certos, como o LHA, nicotinamida, ácido ferúlico e o PhE-resorcinol. Além de reduzir o tamanho e a quantidade das manchas, eles conseguem prevenir o surgimento de novas marcas sem irritar a pele.

Ficou com alguma dúvida sobre o tratamento? Não deixe de conversar com o seu dermatologista para esclarecer as principais questões.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.