Você já ouviu falar que, no verão, alguns procedimentos dermatológicos devem ser evitados? Segundo especialistas, essa época do ano pode apresentar riscos, já que a exposição contra radiação solar é mais intensa. Pensando nisso, o DermaClub separou 5 técnicas realizadas na pele que devem ser deixadas de lado durante a estação mais quente do ano. Confira!

Descubra quais procedimentos estéticos devem ser evitados durante o verão

Os procedimentos estéticos são realizados para aumentar a autoestima das pessoas, proporcionando resultados positivos em seus corpos. Porém, algumas técnicas exigem cuidados especiais e com a grande exposição solar sofrida durante o verão o efeito pode acabar sendo contrário ao esperado. Veja abaixo:

- Tatuagem: assim que terminam uma sessão de tatuagem, a primeira coisa que as pessoas querem fazer é exibi-la por aí. Porém, o processo de cicatrização é importante para a pigmentação correta da tinta na pele. Além disso, ir à praia com a tattoo nova aumenta os riscos de infecção. Evite;

- Luz intensa pulsada: o calor gerado pelo aparelho atinge a melanina, os vasos sanguíneos e o colágeno. Dessa forma, o uso do protetor solar é indispensável posteriormente. Evite esse tipo de procedimento no verão para minimizar o risco de causar manchas e sardas;

- Depilação a laser: o ideal é apostar no procedimento durante o inverno para, no verão, exibir um corpo lisinho. Segundo a dermatologista Luciana Kalache, de Curitiba, no Paraná, após a sessão deve-se evitar a exposição solar excessiva e não esquecer do filtro mesmo em ambientes internos e dias nublados. “Outra característica da técnica é que ela atinge a melanina, por isso não pode ser realizada em peles bronzeadas”, concluiu;

- Remoção de pintas: quando não há suspeita de câncer de pele, a remoção de pintas pode aguardar a temporada de calor passar. O sinal é retirado da pele por completo, deixando a área vulnerável à infecções e provocando cicatriz;

- Peeling químico: de acordo com a dermatologista Flávia Addor, de São Paulo, o procedimento promove a descamação e renovação da pele através de ativos específicos, o que deixa a área sensível. “Hidratação e proteção são obrigatórios durante o tratamento e no verão devem ser redobrados caso a técnica não seja interrompida”, acrescentou.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.