Alguns ingredientes, como sal, açúcar e gordura, são tidos como os grandes vilões da alimentação saudável, independente da dieta ou do estilo de vida. Absolutos na indústria alimentícia, são usados, principalmente, para melhorar o aspecto e o gosto dos pratos, além de torná-los mais viciantes - é por isso que você não consegue comer só “um” biscoito, por exemplo.

Sal: o excesso de sódio aumenta a retenção de líquido

O consumo excessivo de sal se tornou um hábito brasileiro: usa-se, em média, 12g por dia, 7g acima da recomendação da Organização Mundial da Saúde, que é 5g. E isso sem percebermos: ele é incluído, surpreendentemente, nos alimentos que menos imaginamos - até biscoitos doces têm sal em sua composição! Figura carimbada entre os ultraprocessados, esse ingrediente é muito consumido através dos tabletes de tempero, dos embutidos (como presunto, mortadela e peito de peru) e dos congelados, já que aumenta a sua conservação.

Entre os perigos que apresenta para o organismo, o excesso de sódio aumenta o risco de hipertensão, acidentes vasculares cerebrais, catarata, pedra nos rins e câncer de estômago, por exemplo. Isso porque intensifica a retenção de líquido e, consequentemente, a pressão arterial - o que também gera inchaço.

Açúcar: além de aumentar a taxa de glicose no sangue, ele pode piorar a enxaqueca

O açúcar é outro ingrediente que os brasileiros consomem mais do que deveriam: estima-se que, em média, sejam mais de 50kg por ano para cada pessoa! Além disso, apesar da maioria já conhecer os seus malefícios para a saúde, é quase impossível resistir quando vivemos em um mundo onde esse composto impera: ele está em praticamente todos os produtos industrializados, inclusive os salgados, como molho de tomate e pão.

Além de influenciar no desenvolvimento de doenças como diabetes, câncer e problemas cardíacos, o açúcar também contribui para o envelhecimento precoce da pele - afinal, ele é responsável pela aceleração da glicação. Soma-se a isso, ainda, seus efeitos na intensificação de quadros de enxaqueca e em prejuízos na memória.

Gordura: saiba diferenciar as boas das ruins

Outro ingrediente muito comum na dieta brasileira, a gordura está tanto nos saquinhos de biscoito quanto nas panelas na cozinha. Aqui, no entanto, é necessário observar a diferença entre a qualidade delas: salmão, azeite, castanhas e abacate, por exemplo, são fontes de gorduras insaturadas, boas para o organismo. Já a manteiga e carnes, além de biscoitos recheados e fast food, são ricos em gorduras saturadas e trans, respectivamente, extremamente maléficas para a saúde.

O consumo exagerado de gorduras nocivas é responsável pelo aumento do colesterol ruim. Com isso, além de aumentar o risco de doenças cardiovasculares, também influenciam o desenvolvimento da obesidade.

Você, provavelmente, já ouviu falar que tudo em excesso faz mal. É reconhecido no universo da nutrição que a quantidade interfere diretamente na qualidade dos alimentos, e é por isso que devemos nos manter sempre atentos às necessidades individuais de cada organismo. Procurar um profissional, nesse momento, é fundamental, já que um nutricionista pode orientar uma dieta especificada para cada paciente.