Errar na hora de aplicar o filtro solar é mais comum do que se imagina. “Com frequência solicito que o paciente me mostre a forma que ele usa o protetor e me espanta como as pessoas ainda não sabem a melhor maneira de passar o produto. Por isso, sempre ensino ao meus pacientes o jeito ideal”, contou a dermatologista Luciana Kalache, de Curitiba, no Paraná. Pensando nisso, o DermaClub separou 7 dicas para você se proteger corretamente. Confira!

1) O fator de proteção solar deve ser escolhido de acordo com o tom de pele

Segundo a dermatologista Vanessa Metz, do Rio de Janeiro, o maior risco de usar o FPS inadequado é a queimadura solar, que pode atingir diferentes graus. É importante considerar duas características antes de decidir o valor do fator de proteção utilizado. “Quanto mais intensos forem o sol e a exposição solar, maior deve ser o FPS. Além disso, peles claras possuem maior sensibilidade aos raios solares, logo estas devem fazer uso de produtos mais resistentes”, explicou.

2) A primeira aplicação deve ser caprichada

Geralmente, a primeira aplicação do dia é realizada no momento de se arrumar para o trabalho, antes de sair para a praia ou para diferentes compromissos. Dessa forma, o ideal é espalhar o produto pelo corpo todo e sobre a pele seca. Depois que o filtro secar é só terminar de se arrumar e aguardar de 15 a 30 minutos antes de se expor aos raios solares.

3) Não esqueça de pés, mãos e orelhas

Para a dermatologista Vanessa Metz, não aplicar o filtro solar nos pés, mãos e orelhas é um hábito ruim que muitas pessoas possuem. “Os veículos mais fluídos são mais fáceis de aplicar na região. Alguns pacientes ainda optam pelo bastão. Além disso, é interessante usar chapéus, pois protegem as orelhas e também o couro cabeludo”, disse.

4) É preciso reaplicar o produto durante o dia

Para garantir que a proteção se estenda durante todo o dia é preciso reaplicar o produto, mesmo que em ambientes fechados. Uma boa opção é replicar o filtro sempre antes de retocar a maquiagem, além de apostar em produtos como bases e pó compactos que também apresentem fator de proteção. Outra alternativa é guardar o protetor solar próximo a utensílios de uso durante o dia, como as escovas de dentes.

5) Esteja atento ao prazo de validade dos produtos

Todo dermocosmético possui prazo de validade e necessidades de armazenamento para que o conteúdo não seja danificado. Conserve o produto de acordo com as instruções que vêm descritas no rótulo e ainda preste atenção nas datas. Usar filtro vencido pode, além de não proteger contra os raios solares, causar reações adversas na pele.

6) A quantidade de produto influencia no resultado

Usar pouco ou muito produto não garante boa cobertura na pele, para evitar manchas ou aspecto pegajoso é preciso aplicar a quantidade ideal. Para o corpo, o equivalente a três colheres de sopa é suficiente. Enquanto que para o rosto, uma colher de café protege a região adequadamente.

7) Apostes em filtros químicos e físicos para garantir uma proteção completa

Os filtros químicos absorvem a radiação UV, diminuindo o impacto do contato com a pele, enquanto que os físicos refletem a radiação que incide no corpo. Unir os dois tipos de filtro garante uma proteção mais eficaz e completa, principalmente quando há casos ou suspeita de câncer de pele.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.