Dermaclub
O máximo de vantagens para você e sua pele

Você sabe qual é o seu fototipo? Conheça os diferentes tons de pele e suas características

Nos dias ensolarados, sempre pensamos em ir à praia, expor nosso corpo ao sol e pegar um bronzeado. Embora essa atitude seja comum para muita gente, manter a pele em contato direto com a radiação solar sem proteção não é uma prática saudável e pode causar problemas sérios, como queimaduras e melanoma - o tipo mais agressivo de câncer da pele. Por isso, devemos sempre nos proteger de todas as formas possíveis contra os raios UV, usando filtro com FPS 30, no mínimo, antioxidantes, para potencializar a defesa, e barreiras físicas, como chapéus, óculos e roupas com proteção UVA e UVB. Por isso, é essencial consultar um dermatologista, a fim de descobrir como deve ser a proteção da pele, de acordo com as suas necessidades.

Essas medidas ajudam a manter a pele mais protegida, independentemente do fototipo determinado pela escala de Fitzpatrick. Você já ouviu falar nessa classificação? Um médico chamado Thomas B. Fitzpatrick classificou a pele em 6 fototipos cutâneos diferentes, que variam de acordo com a quantidade de melanina (substância que dá cor à pele), a capacidade de cada pessoa em se bronzear (ganhar tom amarronzado) e queimar (ficar avermelhada) quando se expõe ao sol, até mesmo outras características, como a cor dos olhos e do cabelo. A Sociedade Brasileira de Dermatologia também segue este mesmo modelo e, baseado nessas informações, o DermaClub separou as principais características e cuidados que devemos ter com cada fototipo.

Fototipo 1: pele extremamente branca

Esse fototipo é caracterizado por uma pele bem clara e, muitas vezes, com sardas. Esse tipo também é extremamente sensível à exposição solar - sempre se queimando, mas nunca bronzeando. Portanto, não deixe de aplicar diariamente o protetor solar com FPS 30, no mínimo, e usar barreiras físicas, como chapéus e óculos escuros.

Fototipo 2: pele branca

Neste caso, a pele também é clara, porém, levemente mais escura que o primeiro fototipo, além da tonalidade do cabelo - loiro ou ruivo - e dos olhos, que normalmente são claros. Suas características são bem similares com a anterior, apresentando sensibilidade ao sol, mas, às vezes, bronzeando lentamente, além de ser propensa a queimaduras após a exposição solar.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Fototipo 3: pele morena clara

Aqui, a pele é um pouco mais escura e já possui uma certa resistência ao sol. A região cutânea apresenta uma leve sensibilidade à radiação solar, podendo até bronzear com o tempo. Por outro lado, se não houver proteção adequada com filtro solar FPS 30, no mínimo, acaba queimando facilmente, já que tem sensibilidade normal ao sol.

Fototipo 4: pele média

Este fototipo apresenta uma pele com tom castanho claro. A região é mais resistente aos impactos dos raios UV, por isso, bronzeia facilmente e queima (fica avermelhada) muito pouco, por também ter sensibilidade normal ao sol.

Fototipo 5: pele morena escura

Este é característico de pessoas com pele morena e negra clara, que raramente se queimam e sempre ficam com um belo bronzeado, por ser pouco sensível ao sol. Mesmo assim, é importante praticar a proteção diária com o uso do filtro solar e de barreiras físicas em locais de maior exposição, como praia e piscina.

Fototipo 6: pele negra

Esse fototipo é totalmente pigmentado e possui uma proteção “natural” aos raios solares, devido à maior quantidade de melanina produzida. Ela também tem fibras de colágeno mais densas e glândulas sebáceas maiores, que produzem bastante sebo e oleosidade na pele. Além de tratar do excesso de brilho característico, é importante nunca esquecer de realizar a fotoproteção, pois além de queimaduras, a radiação UVA e UVB pode trazer outros malefícios, como o câncer da pele e o envelhecimento precoce.  

Portanto, independentemente do seu fototipo, é importante proteger sempre a pele, principalmente no verão - época em que a incidência dos raios solares é mais intensa. Por isso, converse com o seu dermatologista, a fim de escolher o melhor filtro solar de acordo com as suas necessidades. Além disso, não se esqueça do uso de barreiras físicas, como chapéu e roupas com proteção UV.

 

Publicado em: Quinta-feira 07 de dezembro de 2017 - 11h47

0
0
0
0

Cabelo

Lavei o cabelo, mas ele continua oleoso: o que fazer? 5 dicas para acabar com a oleosidade no couro cabeludo

Lavei o cabelo, mas ele continua oleoso: o que fazer? 5 dicas para acabar com a oleosidade no couro cabeludo

Proteção

Protetor solar para pele sensível do rosto e corpo: dermatologista dá dicas para acertar na escolha

Protetor solar para pele sensível do rosto e corpo: dermatologista dá dicas para acertar na escolha

Pele

Outubro Rosa: tatuagem e micropigmentação ajudam mulheres vítimas do câncer de mama a recuperar a autoestima

Outubro Rosa: tatuagem e micropigmentação ajudam mulheres vítimas do câncer de mama a recuperar a autoestima

Água termal

Água termal: o que é? Quais os benefícios? Posso usar na pele e no cabelo? Saiba tudo sobre o produto

Água termal: o que é? Quais os benefícios? Posso usar na pele e no cabelo? Saiba tudo sobre o produto

Queda

Cuidados com o cabelo pós-coloração: saiba como cuidar dos fios para evitar a queda, quebra e pontas duplas

Cuidados com o cabelo pós-coloração: saiba como cuidar dos fios para evitar a queda, quebra e pontas duplas

Flacidez

Como acabar com a flacidez do rosto: 4 cuidados para combater o envelhecimento da pele (INFOGRÁFICO)

Como acabar com a flacidez do rosto: 4 cuidados para combater o envelhecimento da pele (INFOGRÁFICO)