Main content

Ácido hialurônico é bom para pele oleosa? Dermatologista esclarece a questão

Você tem a pele oleosa e está pensando em incluir o ácido hialurônico na rotina de skincare? Dermatologista esclarece se esse ativo é indicado!
15 jan 2021

Você tem a pele oleosa e está pensando em incluir o ácido hialurônico na rotina de skincare? Dermatologista esclarece se esse ativo é indicado!

A pele oleosa é conhecida por sua alta produção de sebo. Para controlar esse problema, é importante incluir na rotina de skincare produtos leves e adstringentes, além de excluir os mais cremosos e comedogênicos (ou seja, que entopem os poros). Com isso, muitas pessoas acabam tendo um certo preconceito com dermocosméticos que possuem ativos hidratantes, como o ácido hialurônico. Afinal de contas, essa substância pode ser usada na pele oleosa? O DermaClub entrevistou a dermatologista Lilia Guadanhim, que esclareceu o assunto.

Qual é a função de um produto com ácido hialurônico?

De acordo com a médica, a função do ativo vai depender muito do que a sua pele precisa no momento. “Os produtos com ácido hialurônico podem ter como função hidratação da pele ou ação anti-envelhecimento, com estímulo da produção endógena de ácido hialurônico”, explicou. Tudo vai depender do peso molecular e do tamanho da cadeia de ácido hialurônico contida na fórmula.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

O ácido hialurônico é bom para pele oleosa?

PRODUTOS RELACIONADOS


O ácido hialurônico por si só não deixa a pele oleosa, mas tudo vai depender do veículo em que o ativo foi depositado. “Produtos em textura sérum, aqua-gel ou gel creme em geral são mais adequados para pacientes com peles oleosas do que produtos cremosos ou bálsamos”, ressaltou.

Quais características um produto com ácido hialurônico para a pele oleosa deve ter?

- Ter uma textura leve que seja oil free - de preferência sérum;
- Efeito matte, que deixe a pele mais sequinha;
- Não pode ser comedogênico;
- Toque seco, que evita aquela sensação pegajosa.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Publicada em: 15 de Janeiro de 2021
Modificada em: 17 de Agosto de 2022


Image

palavra do dermatologista

DRA. LILIA GUADANHIM
CRM: 133850

Formação em Medicina, Residência Médica em Dermatologia e Especialização em Cosmiatria pela Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo. Possui título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e Associação Médica Brasileira, além de ser membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da International Dermoscopy Society. Tem especializações em Cosmiatria - Toxina Botulínica e Preenchimento na França e Dermatoscopia - Oncologia Cutânea na Itália. É médica colaboradora da Unidade de Cosmiatria da Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo.


palavra do dermatologista

Image

DRA. LILIA GUADANHIM
CRM: 133850

Formação em Medicina, Residência Médica em Dermatologia e Especialização em Cosmiatria pela Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo. Possui título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e Associação Médica Brasileira, além de ser membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da International Dermoscopy Society. Tem especializações em Cosmiatria - Toxina Botulínica e Preenchimento na França e Dermatoscopia - Oncologia Cutânea na Itália. É médica colaboradora da Unidade de Cosmiatria da Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo.

Orientation message
For the best experience, please turn your device