Main content

Psoríase: o que é, causas e como tratar?

Entenda o que é psoríase, suas causas e tratamentos eficazes no blog de Dermaclub.
05 mar 2024

A psoríase é uma condição dermatológica que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, mas muitos ainda desconhecem seus detalhes. Neste artigo, o Dermaclub irá explorar mais sobre a psoríase, desmistificando conceitos e oferecendo informações valiosas sobre essa condição cutânea. Leia o nosso artigo até o final para tirar todas as suas dúvidas!


O que é psoríase?


A psoríase é uma doença de pele que causa manchas avermelhadas e escamosas. Ela é crônica, ou seja, não tem cura, mas pode ser controlada com tratamento. A psoríase não é uma doença contagiosa, portanto, não é possível contraí-la através do contato com alguém que sofra da condição.  

A psoríase é uma doença autoimune, o que significa que o sistema imunológico do corpo ataca as células saudáveis da pele. Isso faz com que as células da pele se renovem muito mais rápido do que o normal, formando as manchas e escamas características da doença.


Quais são os sintomas da psoríase?


A psoríase apresenta uma gama variada de sintomas, cada um contribuindo para a complexidade dessa condição dermatológica. Aqui estão os principais sinais que podem indicar a presença de psoríase:

1. Manchas vermelhas e inflamadas: As áreas afetadas pela psoríase exibem manchas avermelhadas e inflamadas, muitas vezes delimitadas por bordas bem definidas. Elas podem aparecer em qualquer parte do corpo, mas são mais comuns no couro cabeludo, cotovelos, joelhos e tronco. Podem ser lisas ou elevadas, e podem variar de tamanho. Elas podem ser únicas ou múltiplas, e podem se espalhar por todo o corpo.

2. Escamas: Uma característica distintiva da psoríase é a presença de escamas que cobrem as manchas vermelhas. Essas escamas resultam do rápido acúmulo de células da pele e podem ser brancas ou prateadas.

3. Coceira Intensa: A coceira é uma queixa comum entre aqueles que sofrem de psoríase. A irritação da pele pode ser intensa, afetando significativamente a qualidade de vida.

4. Alterações nas Unhas: A psoríase pode afetar as unhas, causando sintomas como depressões, descolamentos e descolorações.

5. Lesões Articulares: Em alguns casos, a psoríase pode estar associada à artrite psoriásica, causando inflamação nas articulações e manifestando-se como dor e rigidez.

7. Dor e Desconforto: Além da coceira, muitos indivíduos experimentam dor e desconforto nas áreas afetadas, tornando essencial o gerenciamento eficaz da condição.

Quais são as causas da psoríase?


A causa da psoríase ainda não é totalmente compreendida, mas acredita-se que seja uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Os fatores genéticos são os mais importantes, afinal, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 30% a 40% das pessoas com psoríase têm um parente de primeiro grau com a doença.

Os fatores ambientais que podem desencadear ou piorar a psoríase incluem:

  • Estresse: O estresse é um dos fatores ambientais mais comuns que podem desencadear ou piorar a psoríase, pois o estresse pode aumentar a produção de substâncias inflamatórias no corpo.
  • Infecções: Infecções, como infecções no nariz ou na garganta, também podem desencadear ou piorar a psoríase. Isso ocorre porque as infecções podem causar inflamação no corpo.
  • Ferimentos na pele: Um ferimento na pele, como uma queimadura solar ou uma tatuagem, podem influenciar nessa condição porque o ferimento pode danificar a pele e causar inflamação.
  • Alguns medicamentos: Alguns medicamentos, como betabloqueadores e lítio, podem desencadear ou piorar a psoríase.
  • Tabagismo: O tabagismo é um fator de risco para a psoríase. Pessoas que fumam têm maior probabilidade de desenvolver psoríase e de ter casos mais graves da doença.


É importante ressaltar que nem todas as pessoas com psoríase apresentam esses fatores ambientais. Em alguns casos, essa doença pode surgir sem nenhum fator desencadeante aparente.

Quais são os tipos de psoríase?


Existem muitos tipos de psoríase, cada um com suas próprias características. Os tipos mais comuns de psoríase incluem:

  • Psoríase em placas (também conhecida como psoríase vulgar) é o tipo mais comum de psoríase. Ela é caracterizada por manchas avermelhadas e escamosas na pele. As manchas podem ser lisas ou elevadas, e podem variar de tamanho. Elas podem ser únicas ou múltiplas, e podem se espalhar por todo o corpo.
  • Psoríase gutata é um tipo de psoríase que se manifesta como pequenas manchas avermelhadas com escamas brancas ou prateadas. As manchas geralmente aparecem em grupos e são mais comuns no tronco, nos braços e nas pernas. A psoríase gutata geralmente é desencadeada por uma infecção, como uma infecção no nariz ou na garganta.
  • Psoríase pustulosa é um tipo de psoríase que se manifesta como pequenas bolhas cheias de pus. As bolhas geralmente aparecem no tronco, nas pernas e nos braços. A psoríase pustulosa pode ser dolorosa e pode causar coceira.
  • Psoríase invertida é um tipo de psoríase que afeta as dobras da pele, como as axilas, as virilhas e a região genital. As lesões da psoríase invertida são geralmente lisas e vermelhas, e podem ser úmidas ou secas.
  • Psoríase palmoplantar é um tipo de psoríase que afeta as palmas das mãos e as plantas dos pés. As lesões da psoríase palmoplantar são geralmente vermelhas e escamosas, e podem ser dolorosas e causar coceira.
  • Psoríase ungueal é um tipo de psoríase que afeta as unhas. As lesões da psoríase ungueal podem causar descoloração, espessamento ou deformidade das unhas.
  • Artrite psoriásica é uma forma de artrite que afeta pessoas com psoríase. A artrite psoriásica pode causar dor, rigidez e inchaço nas articulações.

Como diagnosticar a psoríase?


O diagnóstico da psoríase é geralmente feito por um dermatologista. O médico fará um exame físico da pele e perguntará sobre os sintomas. Em alguns casos, o profissional pode solicitar exames laboratoriais para descartar outras doenças com sintomas semelhantes.

O que uma pessoa que tem psoríase não pode comer?


Não existe uma lista única de alimentos proibidos para quem tem psoríase, mas algumas pessoas relatam melhorias ao evitar certos tipos de comida. Lembrando que cada pessoa é diferente, e o que funciona para um pode não funcionar para outro. Ainda assim, com o intuito de trazer informação, aqui vão algumas dicas gerais separadas pelo Dermaclub para você:

  • Alimentos processados: Os alimentos processados ​​geralmente são ricos em açúcar, gorduras saturadas e trans e sódio. Esses nutrientes podem promover a inflamação, o que pode piorar a psoríase.
  • Glúten: Algumas pessoas com psoríase notam melhorias ao reduzir o glúten na dieta. O glúten está presente em trigo, cevada e centeio.
  • Carne vermelha: A carne vermelha é rica em gorduras saturadas, que podem promover a inflamação.
  • Leite e derivados: Os produtos lácteos podem desencadear ou piorar a psoríase em algumas pessoas.
  • Alimentos ricos em histamina: Alguns alimentos, como peixes, frutos do mar, vinagre, tomate e chocolate, podem liberar histamina no corpo. A histamina é uma substância que pode causar inflamação e coceira, o que pode piorar a psoríase.

Psoríase tem cura?

Infelizmente, por se tratar de uma doença crônica, a psoríase ainda não tem uma cura definitiva. No entanto, existem muitos tratamentos disponíveis que podem ajudar a controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida das pessoas afetadas por essa condição.

O que piora a psoríase?


Conforme vimos, a psoríase pode ser influenciada por diversos fatores, e embora nem todos reajam da mesma maneira, alguns elementos comuns podem desencadear ou piorar os sintomas da condição, como o tempo frio que pode ressecar a pele e piorar a descamação. Por isso, manter a pele sempre hidratada é essencial.

O hidratante Lipikar Baume AP+M da La Roche-Posay é uma ótima opção por ser formulado com Niacinamida e Água Thermal que alivia e acalma a pele, reduzindo a vermelhidão e a coceira, e glicerina que ajuda a hidratar a pele profundamente.

Creme hidratante Lipikar Baume Ap + M da La Roche-Posay para alívio da psoríase

A exposição ao sol pode melhorar os sintomas da psoríase em algumas pessoas, mas pode piorar os sintomas em outras, porque a luz solar pode causar danos à pele, que podem piorar a inflamação e a descamação. É por esse motivo que o uso do protetor solar é imprescindível. Quando se trata de escolher um protetor para pele com psoríase, é importante procurar fórmulas suaves e hipoalergênicas.  

O Anthelios XL Protect da La Roche-Posay têm alta proteção UVA/UVB, textura ultraleve e absorção rápida, além de ser um protetor hidratante, tem complexo antioxidante, é resistente à água e conta com fórmula livre de parabenos e dermatologicamente testado.


Alguns produtos de higiene pessoal, como sabonetes e shampoos agressivos, podem irritar a pele e piorar os sintomas da psoríase capilar. O Sensi-Scalp da Vichy é um creme de limpeza capilar sem sulfatos, corantes ou parabenos. Ele foi desenvolvido especialmente para couros cabeludos sensibilizados, aliviando os desconfortos como coceira, vermelhidão e irritação. Contém em sua fórmula hipoalergênica um complexo calmante de sensirine e madecassoside, que age rapidamente para reduzir a coceira e o desconforto do couro cabeludo.
 

Linha Sensi-Scalp de Vichy para couro cabeludo sensibilizado ou com psoriase

 

Para manter uma rotina de cuidados com a pele e cabelo e aproveitar benefícios exclusivos, inscreva-se no Dermaclub, o clube de vantagens onde suas compras valem pontos que podem ser trocados por outros produtos. Além disso, você ainda tem acesso a descontos únicos para membros do clube todo mês, podendo garantir sua rotina de skincare com um preço especial. 

Como tratar a psoríase?


Os tratamentos para a psoríase podem ser divididos em duas categorias:

  • Tratamentos tópicos: são aplicados diretamente na pele, como cremes, pomadas ou loções. Eles são geralmente a primeira opção para o tratamento da psoríase leve e podem ajudar a reduzir a inflamação e a descamação da pele.
  • Tratamentos sistêmicos: são tomados por via oral ou injetáveis. Eles são usados para casos moderados ou graves da psoríase e podem ajudar a reduzir a produção de células da pele e a inflamação.

É importante ressaltar que o tratamento da psoríase deve ser individualizado, conforme o tipo e a gravidade da doença. O dermatologista é o profissional mais indicado para orientar o tratamento mais adequado para cada caso.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Clube de vantagens

 
Orientation message
For the best experience, please turn your device