Com o envelhecimento, a produção de colágeno diminui, a pele vai ficando flácida, as estruturas de sustentação da face vão sendo reabsorvidas e o rosto vai perdendo seu contorno natural. Para as mulheres que se incomodam com essas características, existem várias formas de minimizá-las, e uma delas é o preenchimento injetável. Você conhece os tipos desse procedimento? O DermaClub conversou com a dermatologista Nicole Perim, de Belo Horizonte, que explicou todas as vertentes dessa técnica. Confira!

Conheça os preenchedores e os bioestimuladores

De acordo com a médica, os preenchedores e bioestimuladores faciais proporcionam volume e criam sustentação para melhorar a forma e o contorno facial, estimulando a produção de colágeno. Saiba a diferença entre eles:

“O preenchimento pode ser utilizado para o tratamento do envelhecimento entregando resultados imediatos com a correção de volume perdido e, ao mesmo tempo, proporcionar o estímulo do colágeno de forma lenta e delicada. Já os bioestimuladores são substâncias que ao serem injetadas na pele estimulam apenas a produção das fibras de colágeno”, explicou.

O preenchimento de ácido hialurônico é o mais utilizado

O ácido hialurônico é um polissacarídeo existente na nossa pele. Tem propriedade de adesão à água, promovendo hidratação e contribuindo para a elasticidade da pele. Existem produtos com diferentes graus de viscosidade. “Esta característica torna o ácido hialurônico bastante versátil, podendo ser utilizado apenas como um hidratante profundo, para o tratamento de rugas finas e superficiais, mas também como volumizador, preenchendo depressões mais profundas”, esclareceu. O tratamento com ácido hialurônico tem uma duração média de 1 ano.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Conheça as opções de bioestimuladores

Segundo a Dra. Nicole, existem três substâncias com a função bioestimuladora - o ácido poli-L lático, a hidroxiapatita de cálcio e Policaprolactona. Cada um com funções diferentes:

Ácido poli-L lático: é um bioestimulador de colágeno injetável. Promove resultados graduais e naturais, que começam a ser percebidos a partir da terceira semana após a primeira sessão, podendo permanecer por até 2 anos. São necessárias 2 a 3 sessões na média, com intervalos de 40 dias.

Hidroxiapatita de cálcio: além do efeito de preenchimento imediato, estimula a produção natural de colágeno e com isso a pele recupera a firmeza e a elasticidade. É muito utilizado no rejuvenescimento facial e é a principal escolha para o rejuvenescimento das mãos. Os resultados duram em torno de 2 anos.

Policaprolactona: essa substância foi recentemente aprovada para uso no Brasil e é um preenchedor com efeito bioestimulador. Ao ser aplicado, esse produto confere um resultado imediato por meio do preenchimento de rugas e sulcos profundos acompanhado por um efeito posterior de bioestimulação da produção de colágeno.

Mas, e a toxina botulínica?

Embora muitos acreditem que a toxina botulínica, comumente chamada de botox, seja um tipo de preenchimento, esse tipo de injetável é um procedimento à parte. A substância age paralisando o músculo, o que impede que a ruga se aprofunde cada vez mais por conta da contração muscular. Já o preenchimento repõe a falta de volume em áreas específicas.

Gostou de conhecer os tipos de preenchimento? Lembre-se de fazer esse procedimento apenas com um dermatologista para garantir resultados eficazes e mais seguros.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.