Vem pro clube! quer ganhar descontos o ano todo e ainda trocar seus pontos por produtos? cadastre-se

ja faz parte
do clube?

como comprar

ainda não faz
parte do clube?

cadastre-se

Vem pro clube! É rápido, fácil e grátis. CADASTRE-SE

Veja como tratar a queratose pilar, também conhecida como 'pele de galinha'

A queratose pilar deixa um aspecto de 'lixa' na pele e é muito comum na região dos braços
A queratose pilar deixa um aspecto de 'lixa' na pele e é muito comum na região dos braços

Entrevista com Dra. Lilia Guadanhim, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Produtos relacionados

Você já teve a sensação de estar com a pele do braço áspera e cheia de bolinhas? Esses podem ser sintomas da queratose pilar, popularmente conhecida como “chicken skin” ou “pele de galinha”, um distúrbio dermatológico comum, principalmente na adolescência. De caráter fundamentalmente genético, essa doença também pode se manifestar por outros fatores, como desidratação ou até mesmo o uso de roupas muito apertadas. Olha só!

Descubra o que é “pele de galinha” e porque ela acontece

A queratose pilar se caracteriza pelo ressecamento e aspereza da pele, além da hiperqueratose em torno dos folículos pilosos, isto é, pequenas bolinhas que surgem nos orifícios dos pelos e deixam a pele com um aspecto de “lixa”. Geralmente confundida com espinhas e foliculite, a “pele de galinha” acontece, principalmente, na região posterior dos braços, nas costas, coxas e glúteos. Além disso, segundo a Dra. Lília Guadanhim, “é uma condição genética, mas que pode ser agravada em peles com tendência ao ressecamento ou a manifestações alérgicas (como a dermatite atópica, rinite, asma e bronquite, por exemplo)”.

Veja como prevenir e tratar a queratose pilar

Ainda de acordo com a Dra. Lilia, pela sua predisposição genética, o problema não pode ser prevenido, mas controlado a partir de algumas medidas:

- A exposição solar, por períodos curtos - com o uso de filtro solar, é claro -, pode ajudar a amenizar o quadro;
- Evitar o uso de roupas apertadas, já que o atrito excessivo tende a piorar a doença;
- Manter a pele sempre hidratada, preferencialmente com cremes que contenham ureia;
- Em casos mais extensos e graves, microdermoabrasão, peelings químicos e até a isotretinoína oral podem ser indicados.

A queratose pilar não representa riscos reais à pele

Apesar de ser uma doença, a “pele de galinha” não traz nenhum risco real ao paciente e seu tratamento visa a melhora da pele. No entanto, nada de pressa: “os resultados vêm com o tempo! É preciso ter paciência.”.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Publicada em: 21 de Outubro de 2016
Modificada em: 23 de Maio de 2019

Dra. Lilia Guadanhim

Palavra do Dermatologista

Dra. Lilia Guadanhim

CRM: 133850

Formação em Medicina, Residência Médica em Dermatologia e Especialização em Cosmiatria pela Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo. Possui título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e Associação Médica Brasileira, além de ser membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da International Dermoscopy Society. Tem especializações em Cosmiatria - Toxina Botulínica e Preenchimento na França e Dermatoscopia - Oncologia Cutânea na Itália. É médica colaboradora da Unidade de Cosmiatria da Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo.

Ficou com dúvidas?

Encontre aqui o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia mas perto de você!

recomendadas para você

Uso de máscara de proteção e skincare: dermatologista explica como adaptar a rotina durante a quarentena

Uso de máscara de proteção e skincare: dermatologista explica como adaptar a rotina durante a quarentena

Dermatologista

Quarentena e doenças de pele: crises de dermatite atópica e psoríase podem agravar-se com a falta de sol?

Quarentena e doenças de pele: crises de dermatite atópica e psoríase podem agravar-se com a falta de sol?

Dermatologista

Estresse, sono desregulado, má alimentação... Entenda como a quarentena pode afetar a sua pele

Estresse, sono desregulado, má alimentação... Entenda como a quarentena pode afetar a sua pele

Dermatologista

Vitamina C na alimentação x vitamina C em dermocosméticos: entenda os benefícios e diferenças de cada tipo

Vitamina C na alimentação x vitamina C em dermocosméticos: entenda os benefícios e diferenças de cada tipo

Dermatologista

Cabelo saudável na quarentena: como o cabelo pode sofrer com o estresse, má alimentação e sono desregulado

Cabelo saudável na quarentena: como o cabelo pode sofrer com o estresse, má alimentação e sono desregulado

Dermatologista

Dermatite atópica pode agravar-se com o estresse? Dermatologista explica a piora das crises

Dermatite atópica pode agravar-se com o estresse? Dermatologista explica a piora das crises

Dermatologista

Últimas Matérias

Efeitos da COVID-19 na pele: dermatologista explica como a doença também pode se manifestar no corpo Entenda a diferença entre os 3 séruns anti-idade de La Roche-Posay: Salicyli C10, Retinol B3 e Hyalu B5 Repair Heróis da vida real: relato de um dermatologista que trabalha na linha de frente contra a COVID-19 Rotina de skincare na quarentena para cada tipo de pele + dicas para cabelo e corpo Aparelhos removedores de cravos: funcionam? Quais os riscos? Como remover de forma segura e como evitar Coceira na pele após o banho: entenda porque isso acontece e como tratar
Ver mais