Main content

Eczema: o que é, como surge e como tratar?

Descubra tudo sobre eczema: causas, sintomas, tratamentos e prevenção. Aprenda a cuidar melhor da sua pele com o Dermaclub.
21 out 2020

O eczema é uma condição de pele comum, mas muitas vezes mal compreendida. Se você ou alguém que você conhece está lidando com essa condição, é essencial entender o que é, quais são os sintomas e como tratar. 

Neste artigo, vamos explorar todos esses aspectos do eczema, além de abordar as diferenças entre dermatite e eczema, o que pode ser confundido com eczema e como prevenir a condição. O Dermaclub entrevistou a dermatologista Carolina Marçon que explicou uma maneira fácil de como distinguir esses problemas cutâneos. Confira!

O que é eczema?

O eczema, também conhecido como dermatite atópica, é uma condição inflamatória crônica da pele. É caracterizado por manchas vermelhas, secas e com coceira intensa. Embora seja mais comum em crianças, o eczema pode ocorrer em qualquer idade.

A condição é muitas vezes recorrente, o que significa que os sintomas podem desaparecer por um tempo e depois retornar. A gravidade dos sintomas também pode variar de leve a grave, dependendo do indivíduo e de fatores ambientais, conforme veremos a seguir.

Quais são as causas do eczema?

Embora a causa exata do eczema ainda não seja totalmente compreendida, sabe-se que a condição está relacionada a uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Pessoas com histórico familiar de eczema, asma ou alergias têm maior probabilidade de desenvolver a condição.

Além disso, o eczema pode ser desencadeado por vários fatores ambientais, como irritantes na pele, como sabonetes, detergentes e produtos químicos; alérgenos, como pólen, ácaros e pelos de animais; mudanças climáticas, como frio extremo ou calor intenso; estresse emocional; infecções bacterianas ou virais; e suor excessivo.

Acredita-se que o eczema ocorra quando o sistema imunológico reage exageradamente a esses fatores desencadeantes, causando inflamação e irritação na pele. Isso pode levar a um ciclo vicioso de coceira e arranhões, o que pode piorar a inflamação e agravar os sintomas do eczema.

Por isso, é importante identificar e evitar os fatores desencadeantes específicos que podem estar contribuindo para o seu eczema. Um dermatologista pode ajudá-lo a identificar esses fatores e prescrever um plano de tratamento adequado para gerenciar seus sintomas.

Quais são os sintomas do eczema?

Os sintomas do eczema podem ser diferentes de pessoa para pessoa e podem ser leves ou graves e variar ao longo do tempo, mas geralmente incluem:

  • Coceira intensa: a coceira é o sintoma mais comum do eczema e pode ser muito intensa, levando a arranhões na pele que podem piorar a inflamação.
  • Vermelhidão: a pele afetada pelo eczema pode ficar vermelha e inflamada, especialmente durante um surto.
  • Descamação: a pele afetada pelo eczema pode descamar ou formar crostas, especialmente se for arranhada.
  • Inchaço: a pele afetada pelo eczema pode ficar inchada e sensível ao toque.
  • Espessamento da pele: em casos crônicos de eczema, a pele afetada pode ficar mais espessa e áspera ao longo do tempo.
  • Bolhas: em alguns casos, o eczema pode causar bolhas cheias de líquido na pele.

Quais são os tipos de eczema?

Existem vários tipos de eczema, cada um com suas próprias características e sintomas específicos. Os tipos mais comuns incluem:

  • Dermatite atópica: é o tipo mais comum de eczema e geralmente começa na infância. É caracterizada por manchas vermelhas e coceira intensa, especialmente nas dobras da pele, como atrás dos joelhos e cotovelos. “Ela tem a ver com uma modificação genética que leva a uma modificação de função da barreira da pele. Quem tem dermatite atópica possui uma barreira comprometida, sendo mais sensível e reativo a determinadas situações e componentes”, esclareceu a médica.
  • Dermatite de contato: A dermatite de contato pode causar vermelhidão, coceira, inchaço e bolhas na pele. A dermatologista explica: “Na verdade várias dermatoses podem formar um eczema, porém a mais comum é a dermatite de contato que é desencadeada quando uma substância ou objeto entra em contato com a pele e gera uma reação alérgica, como é o caso do uso de produtos químicos, bijuteria e esmaltes, por exemplo”, detalhou. 
  • Dermatite seborreica: afeta principalmente o couro cabeludo, mas também pode afetar outras áreas do corpo. A dermatite seborreica é caracterizada por manchas escamosas, vermelhas e coceira no couro cabeludo, rosto e orelhas.
  • Dermatite numular: é caracterizada por manchas redondas e coceira intensa na pele. Geralmente ocorre em adultos e pode ser desencadeada por mudanças climáticas, estresse emocional ou pele seca.
  • Eczema disidrótico: afeta as mãos e os pés e é caracterizado por pequenas bolhas cheias de líquido na pele. Pode ser desencadeado por estresse emocional, suor excessivo ou exposição a produtos químicos.

Cada tipo de eczema tem suas próprias causas e fatores desencadeantes específicos, portanto, é importante obter um diagnóstico preciso antes de iniciar qualquer plano de tratamento.

Onde o eczema pode surgir?

O eczema pode surgir em qualquer parte do corpo, mas é mais comum nas mãos, pés, rosto, pescoço e dobras da pele, como atrás dos joelhos e cotovelos.

Em bebês, o eczema geralmente aparece no rosto, couro cabeludo e bochechas. À medida que a criança cresce, a condição pode se espalhar para outras partes do corpo. Em adultos, o eczema pode afetar áreas diferentes, dependendo do tipo de eczema e dos fatores desencadeantes específicos. Por exemplo, a dermatite de contato pode afetar as mãos, enquanto a dermatite seborreica pode afetar o couro cabeludo, rosto e orelhas.

Como tratar o eczema?

O tratamento do eczema é focado em aliviar os sintomas. Embora não haja cura definitiva, muitas pessoas conseguem controlar a condição com sucesso. Veja algumas estratégias de tratamento:

Hidratação da pele: Manter a pele hidratada é uma parte crucial do tratamento do eczema. A pele seca pode piorar a coceira e a inflamação, por isso é importante aplicar um hidratante todos os dias. Procure produtos que sejam livres de fragrâncias e outros irritantes potenciais.

Um exemplo de produto eficaz para manter a pele hidratada é o Lipikar Baume AP+M da La Roche-Posay. Este bálsamo restaura e preserva a barreira cutânea, ajudando a espaçar os períodos de secura severa, além de reduzir a coceira. Ele pode ser utilizado inclusive em recém-nascidos.

Lipikar Baume AP+ da La Roche-Posay para alergia na pele que coça

Medicamentos tópicos: Os medicamentos tópicos, como cremes ou pomadas, são frequentemente usados para tratar o eczema. Estes podem incluir corticosteroides para reduzir a inflamação e a coceira, ou inibidores de calcineurina, que ajudam a manter o sistema imunológico sob controle.

Terapia de luz: A fototerapia, ou terapia de luz, é outra opção de tratamento para o eczema. Neste tratamento, a pele é exposta a uma luz ultravioleta controlada, o que pode ajudar a reduzir a inflamação e melhorar a aparência da pele.

Imunossupressores: Em casos graves de eczema, os médicos podem prescrever medicamentos imunossupressores. Estes medicamentos trabalham para suprimir o sistema imunológico, reduzindo assim a inflamação e os surtos de eczema.

Qual é a diferença entre dermatite e eczema?

Dermatite e eczema são termos frequentemente usados ​​de forma intercambiável para descrever inflamação na pele. No entanto, tecnicamente falando, dermatite é um termo geral usado para descrever qualquer inflamação na pele, enquanto eczema é um tipo específico de dermatite.


O que pode ser confundido com eczema?

Algumas condições de pele podem ser confundidas com eczema, especialmente porque muitas delas compartilham sintomas semelhantes. O Dermaclub separou a seguir algumas dessas condições que podem ser confundidas com eczema. Confira:

  • Psoríase: é uma condição autoimune que causa manchas vermelhas e escamosas na pele. A psoríase pode ser confundida com eczema porque ambos podem causar coceira intensa e descamação.
  • Rosácea: é uma condição inflamatória crônica que afeta principalmente o rosto. A rosácea pode ser confundida com eczema porque ambos podem causar vermelhidão e inchaço na pele.
  • Impetigo: é uma infecção bacteriana da pele que causa feridas e crostas. O impetigo pode ser confundido com eczema porque ambos podem causar lesões na pele.
  • Micose: é uma infecção fúngica da pele que pode causar manchas vermelhas e coceira. A micose pode ser confundida com eczema porque ambos podem causar coceira e inflamação na pele.

Como prevenir o eczema?

A prevenção do eczema se concentra principalmente em evitar gatilhos e manter a pele hidratada. Embora não seja possível prevenir completamente o eczema, especialmente se você tem uma predisposição genética, as seguintes estratégias podem ajudar a reduzir os surtos:

Mantenha a pele hidratada: A pele seca pode piorar os sintomas do eczema. Use um hidratante diariamente, especialmente após o banho quando a pele ainda está úmida. Isso ajuda a selar a umidade. O Lipikar Baume AP+M da La Roche-Posay é uma excelente opção para manter a pele hidratada e protegida.

Evite gatilhos: Conhecer e evitar os gatilhos do seu eczema é crucial. Os gatilhos comuns incluem certos sabonetes e detergentes, poeira, pólen, estresse e suor. Se você notar que algo piora o seu eczema, tente evitá-lo tanto quanto possível.

Tome banhos mornos: A água quente pode ressecar a pele, então opte por banhos mornos. Além disso, limite o tempo de banho para 10-15 minutos e use um sabonete suave sem fragrância. “O banho tem que ser frio ou morno, sem demora, sem o uso de buchas e com um sabonete com o pH mais compatível com a pele, de preferência neutro” ressalta a dermatologista.

Use roupas confortáveis: Roupas apertadas ou feitas de materiais ásperos podem irritar a pele e desencadear um surto de eczema. Opte por roupas soltas e confortáveis feitas de algodão ou outros tecidos macios.

Mantenha uma dieta saudável: Alguns alimentos podem desencadear eczema em algumas pessoas. Embora isso varie de pessoa para pessoa, alimentos comuns que podem desencadear eczema incluem laticínios, ovos, nozes e glúten.

Gerencie o estresse: O estresse pode ser um gatilho para o eczema. Práticas de gerenciamento de estresse, como meditação, yoga ou técnicas de respiração profunda, podem ajudar a reduzir os surtos.
 

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

 

Banner clube de vantagens Dermaclub

Publicado em 21 de Outubro de 2020
Modificado em 20 de Março 2024

Orientation message
For the best experience, please turn your device